Publicidade
Manaus
Manaus

Apagão em Manaus foi causado por queda de objetos sobre rede de alta tensão

Este foi o terceiro apagão registrado apenas este ano na capital durante fortes chuvas que atingem a cidade as quais vêm acompanhadas de rajadas intensas de ventos 19/09/2012 às 18:23
Show 1
Manaus ficou às escuras por mais de três horas, o trânsito foi prejudicado com a baixa visibilidade por causa das chuvas e o não funcionamento dos semáforos e postes
Ana Carolina Barbosa Manaus

O apagão que atingiu Manaus e outros dois municípios do Amazonas, na noite de ontem, com duração de aproximadamente quatro horas, ocorreu, segundo a Eletrobras Amazonas Energia - empresa responsável pelo abastecimento de energia elétrica no Estado -, em razão das inúmeras ocorrências, como quedas de árvores, placas metálicas e outdoors, sobre a rede de distribuição, “provocando vários curtos circuitos nas linhas de transmissão de 69 kV e 230 kV (alta tensão)”.

Este foi o terceiro apagão registrado apenas este ano na capital durante temporais que atingiram a cidade acompanhados de rajadas intensas de ventos, as quais, na ocasião de ontem,  chegaram a 65 quilômetros por hora, acompanhadas de intensas descargas atmosféricas. A informação foi cedida pelo Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam). Só o corpo de bombeiros fez o registro de 72 chamadas.

O apagão também ocasionou a paralisação do abastecimento de água em parte da cidade, já que muitas residências, principalmente as localizadas nas zonas Norte e Leste, dependem de poço artesiano para ter água em casa, e a retirada é feita por meio de bombas elétricas.

As bombas de águas do sistema da Manaus Ambiental - empresa responsável pelo abastecimento -, as quais equivalem a 60% da distribuição de água na cidade, principalmente nas zonas Norte, Sul e Leste, foram parcialmente comprometidas, mas o serviço, conforme a empresa, deve ser normalizado ainda hoje.

Os sinais de internet, como Net e Embratel, também ficaram inoperantes, retornando horas depois e, em alguns pontos da cidade, apenas no início da tarde de hoje.

Até as operadoras de celular, conforme usuários, ficaram instáveis com o temporal. No caso da Vivo, a empresa alegou que as dificuldades na utilização dos serviços  decorreram de uma falha na transmissão contratado de outra operadora, as quais estavam sendo solucionadas para a normalização do serviço.

Já a Tim ressaltou que seus serviços de tráfego de dados e voz em Manaus já foram restabelecidos e funcionam normalmente. A Claro confirma a instabilidade da sua rede 3G em Manaus e destacou que os sistemas da sua rede suportaram a falta de energia, no entanto, houve um problema eventual na madrugada de hoje com o  rompimento de um cabo de fibra ótica de um fornecedor da operadora.

Desligamentos

De acordo com a nota, os “desligamentos” - como o apagão é denominado pela Eletrobras – iniciaram às 21h25, “resultando na interrupção geral das linhas transmissão e alimentadores do sistema Manaus às 21h30”. Cerca de 40 minutos depois foi reiniciada a recomposição do sistema e, às 22h20 ocorreu nova interrupção devido a diversos defeitos que permaneceram nas redes.

O sistema da capital começou a ser restabelecido por volta das 00h34 e, segundo a concessionária, foi normalizado por volta de 1h de hoje em Iranduba (a 25 quilômetros de Manaus) e 1h10 em Manacapuru (distante 84 quilômetros da capital). “A 1h53 foi restabelecido o último alimentador do sistema Manaus”.

Ainda segundo informações da nota, a Eletrobras continua realizando levantamento para levantar novos problemas e prejuízos que porventura tenham sido causados pela tempestade. “A Distribuidora de energia elétrica ressalta que o procedimento de recomposição do sistema tem que ser realizado com cautela para evitar acidentes, especialmente, com pessoas, ao religar as linhas que estejam danificadas”.

Coroado foi o mais atingido

De acordo com a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom),  Zona Leste de Manaus foi a mais afetada com o temporam, em especial o bairro Coroado. A Defesa Civil Municipal registrou em entre a noite de ontem e às 8h30 desta quarta-feira, cerca de 40 ocorrências, dez delas naquela zona da cidade.

No bairro Coroado, moradores sofreram ainda com a força do vento e três casas foram destelhadas. No Jorge Teixeira, na mesma zona, uma casa quase desabou e um incêndio foi registrado na Compensa III, Zona Oeste. Equipes da Defesa Civil foram distribuídas por todas as áreas afetadas para avaliar os danos e dar o encaminhamento adequado.

Inmet

Segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), na estação automática do órgão o registro de rajada de vento ontem foi de 46 quilômetros por hora (Km/h) às 22h, repetindo-se no intervalo até às 23h.

Já na estação do Aeroporto de Ponta Pelada os registros de rajadas de vento apresentaram valores da ordem 41 km/h às 21h45min e de 65 km/h às 22h. No Aeroporto Eduardo Gomes a estação meteorológica registrou às 21h, ventos calmos e às 22h ventos em torno de 11 km/h. O evento, portanto, teve atuação pronunciada mais sobre a zona urbana da cidade.

Este sistema meteorológico caracterizou-se pela grande quantidade de descargas atmosféricas e pela forte intensidade do vento. No que diz respeito à precipitação, o volume registrado foi de 10,8 milímetros no Inmet, entre 21h e 23h.

O Inmet informou que tais eventos apresentam maior recorrência nessa época do ano, quando a energia à superfície é mais abundante, produzindo maior aquecimento.