Publicidade
Manaus
TRANSPORTE PÚBLICO

Abandono, filas e falta de conservação nos terminais de integração de Manaus

Banheiros depredados, filas de espera para comprar créditos, goteiras quando chove e buracos na via dentro do terminal são as principais reclamações 17/05/2017 às 09:42 - Atualizado em 17/05/2017 às 09:58
Show hum wa 129
Usuários dos terminais sofrem com problemas diversos (Foto: Winnetou Almeida)
Álik Menezes Manaus

Apesar da insatisfação e reclamação constante dos usuários dos terminais de integração da cidade, a situação não muda. Banheiros depredados, filas de espera para comprar créditos, goteiras quando chove, buracos na via dentro do terminal, além da presença de camelôs, são algumas das principais reclamações da população. 

Para o pedreiro Josué Ferreira Mota, 22, o Terminal 5, no São José, na Zona Leste, recebe muitas pessoas de vários bairros e deveria ter ações de conservação e até uma reforma. “Esses governantes têm mania de inaugurar obras e esquecer. Um bom exemplo são todos os terminais da cidade. O T5 está abandonado, com banheiro sujo, apesar de ter uma equipe de limpeza que se esforça, mas aquele banheiro precisa mesmo é de uma reforma”, disse. 

Ele também reclamou da ação de camelôs, que, às vezes, atrapalha o fluxo de pessoas. “Eles têm que ter a renda deles para sobreviver, isso é mais do que justo, mas acredito que deveria ter uma reforma e ter uns quiosques mais arrumados e com vigilância para saber se a merenda que eles vendem está boa para consumo”, pontuou. 

A autônoma Clerisneide Lima, 33, disse que algumas lâmpadas do terminal estão queimadas e isso contribui para que criminosos atuem tranquilamente no terminal. “Algumas lâmpadas queimam e a reposição não acontece logo. A população corre risco de ser furtada aqui”, disse. 

No Terminal 3, na Cidade Nova, Zona Norte, as reclamações são sobre os banheiros, goteiras no telhado e as filas longas da bilhetagem. “Quando chove a gente pega chuva em alguns dos pontos porque tem goteiras gigantes, fora o acúmulo de água na pista que forma umas lagoas bem grandes. Além disso, ainda tem o estresse na fila para comprar créditos, que na maioria das vezes estão bem longas”, contou o vendedor Jailson da Silva, 30. 

A dona de casa Francisca Oliveira, 53, não deseja que nem a pior inimiga que ela precise usar o banheiro dos terminais. Apesar de haver funcionários cuidando da limpeza, os usuários afirmam que o local está precisando de uma reforma geral. “Banheiro é um lugar para ser limpo. É para ser, só que não é o caso desse banheiro daqui, ele faz nojo, tem uma crosta nos vasos sanitários. Não aconselho e nem desejo nem que meus inimigos usem um banheiro desse, nenhum ser humano merece usar esse tipo de banheiro. Sabe lá se não corre o risco de pegar uma doença”. 

Projeto

A Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) informou que está trabalhando na elaboração de um projeto que deve revitalizar os terminais da cidade. Sobre o Terminal da Constantino Nery, o T1, o projeto já está em fase de conclusão e trará uma “nova concepção”, com uma arquitetura moderna,  e deve ser apresentado em breve. Contudo, a SMTU informou que tem realizado manutenção nos terminais.

Subsempan fiscaliza venda irregular

No Terminal 5, no São José, Zona Leste, todos os dias, no início da noite, comerciantes fazem uma verdadeira feira. Eles vendem frutas e verduras, atrapalhando o fluxo de pessoas. 

A Subsecretaria Municipal de Abastecimento,  Feiras e Mercados (Subsempab) informou que  todos os Terminais de Integrações vão entrar em reforma. A secretaria está só aguardando o reordenamento, que vai definir  onde ficarão os espaços para os ambulantes quer já atuam nos terminas de Manaus. 

Sobre os feirantes irregulares no T5, a Subsempab informou que fiscais da secretaria atuam no local e devem reforçar a fiscalização.