Publicidade
Manaus
Manaus

Após ação da PF, jornalista deixa cargo de direção na Câmara Municipal de Manaus

Hiel Levy ocupava o cargo de diretor de comunicação da Câmara de Vereadores; ele é um dos investigados pela "Operação Sol Dourado", realizada pela Polícia Federal, que vasculhou seu gabinete na Casa Legislativa 22/10/2012 às 11:43
Show 1
Novo diretor de comunicação da Câmara Municipal de Manaus, Hiel Levy
JOELMA MUNIZ Manaus

Hiel Levy não é mais o diretor de comunicação da Câmara Municipal de Manaus (CMM). A informação foi confirmada na manhã desta segunda-feira (22) pelo presidente da CMM, o vereador Isaac Tayah (PSD).

Durante a abertura dos trabalhos na Casa, Tayah disse que a carta de demissão de Levy "foi entregue por ele no último sábado (20)".

Isaac Tayah ressaltou que a Câmara Municipal de Manaus não possui qualquer ligação com as investigações realizadas pela Polícia Federal, na Operação Sol Dourado, da Polícia Federal.

A PF investiga supostas irregularidades em contratos de publicidade em que a empresa de fachada "Sistema de Comunicação Sol" fornecia notas fiscais com indícios de falsificação em contratos com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA). O dinheiro para bancar os contratos vinha da Fundação Muraki, que recebe verbas do governo do Estado.

"Quem está sendo investigada não é a Câmara Municipal e sim um funcionário comissionado, que por ventura foi secretário de Comunicação do governo (Eduardo Braga) no período do caso", disse o presidente da CMM, frisando que o seu agora ex-diretor de comunicação Hiel Levy "está disposto a contribuir com a Polícia Federal".

Confirmação
No blog que mantém na internet, Hiel Levy confirma sua saída do cargo e dispara contra desafetos.

"No último sábado, procurei o presidente da Câmara Municipal de Manaus, Isaac Tayah, e lhe solicitei a minha exoneração do cargo de diretor de Comunicação. Senti que deveria fazer isso para preservar o Poder e ele próprio. Agradeci pela parceria, confiança e expliquei que precisava agir assim até mesmo para me defender, já que até agora não sei do que estou sendo acusado".

"Nesta segunda, acompanhei pela TV a sessão plenária. Vi que ainda tenho amigos. O próprio Tayah e o vereador Wilton Lira, velho conhecido do rádio, saíram em minha defesa diante do pronunciamento de Mário Frota, que me atacou".

"Não vou responder nem trocar chumbo com o Mário. Sei bem quem ele é. Fala uma coisa na tribuna e faz outra nos bastidores. Que o diga Serafim Correa, seu ex-desafeto e agora aliado no balaio de gatos que se formou em torno do Artur Neto".

"Quero viver meus próximos dias em paz e provar a minha inocência. Vou me dedicar dia e noite a isso", finalizou Hiel Levy.