Publicidade
Manaus
Manaus

Após derrubada de árvores, condomínio de luxo é multado em mais de R$ 10 mil

A Semmas informou que o condomínio foi autuado em 153 UFMs (Unidades Fiscais do Município), o equivalente a aproximadamente R$ 10,5 mil, sendo 51 UFMs por cada arvore cortada, sem a devida autorização 08/01/2013 às 19:40
Show 1
As ávores foram cortadas no início da noite desta segunda-feira (07)
Camila Pereira Manaus (AM)

Após derrubar três palmeiras nativas, na última segunda-feira (07), a administração do condomínio Ephigênio Salles – localizada no bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul –  foi multada em aproximadamente R$ 10,5 mil pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Em nota, a Semmas informou que o condomínio foi autuado em 153 UFMs (Unidades Fiscais do Município), 51 UFMs por cada arvore cortada, sem a devida autorização.

Ainda em nota, a Semmas afirma que  houve notificação para os responsáveis pelo condomínio comparecerem à sede do órgão para tomarem ciência sobre como proceder em casos de solicitação de corte e poda de árvores. O condomínio foi enquadrado no artigo 137 do Código Ambiental do Município (Lei 605/2001), inciso VI.

Conforme publicado no portal acritica.com, na noite desta segunda-feira, os moradores do condomínio criticaram a derrubada de três palmeiras do local. De acordo com eles, a derrubada impede a permanência de aves, como os periquitos de asa branca, na copa das árvores.

Telas

Há cerca de um ano, as palmeiras imperiais principais que adornam a entrada do condomínio de luxo foram cobertas por telas para impedir que periquitos de asa branca pousem nas copas das árvores. Na ocasião, a Semmas se pronunciou dizendo que a  cobertura é uma medida preventiva sugerida pelo Ibama e que os periquitos que todos os dias pousam no local estariam corroendo as copas e matando as espécies”.