Publicidade
Manaus
CRIME

Após discutir com desconhecido, homem é morto com tiro no pescoço na Zona Leste

Segundo testemunhas, Antonio de Souza aguardava um coletivo para retornar para casa quando um homem de cabelos grisalhos se aproximou dele e começou uma discussão 20/08/2017 às 19:35 - Atualizado em 20/08/2017 às 20:35
Show  ndice
(Foto: Danilo Alves)
Danilo Alves Manaus (AM)

“Isso aqui é pra ti aprender a nunca mais roubar”. Essas foram as palavras do homem que assassinou Antônio de Souza Moreira,19, momentos antes dele atirar na vítima. As informações são da própria irmã de Antônio, uma adolescente de 16 anos. O crime aconteceu na plataforma de ônibus articulados localizada em frente do Hospital e Pronto Socorro João Lúcio, neste domingo (20).

De acordo com a irmã da vítima, o homem estava na companhia da mãe, que está internada na unidade de saúde. Logo depois, a adolescente chegou para substituir o irmão. Segundo ela, Antônio aguardava um coletivo para retornar para casa, quando um homem de cabelos grisalhos, estatura mediana e que usava óculos, desceu de outro coletivo, se aproximou dele e começou uma discussão.

“Minha mãe, de 52 anos, foi diagnosticada com AVC e está internada há uma semana aqui. Ele estava cuidando dela e só me disse que estava cansado e precisava ir para casa, porque na segunda-feira ele iria trabalhar. Enquanto ele esperava o ônibus, esse homem chegou e começou a discutir com o meu irmão. Foi então que ele sacou uma arma e disse antes de efetuar o disparo: “isso é pra ti aprender a nunca mais roubar”, disse.

A vítima, segundo a equipe de investigação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), informou que Antônio foi atingido com um tiro no pescoço, não resistiu os ferimentos e morreu na plataforma.

“Depois do crime, o assassino ainda xingou meu irmão e, em seguida, um motoqueiro que dava apoio buscou ele. Os dois fugiram sentido bairro/centro”, afirmou.

Conforme a DEHS e a própria irmã de Antônio, o suspeito tinha entre 45 e 50 anos, usava barba, tinha cabelos grisalhos, usava uma blusa social branca e calça jeans. As câmeras de segurança da Avenida Cosme Ferreira registraram o crime.

Ainda segundo a DEHS, o jovem tinha duas passagens pela polícia. Uma delas ocorreu em abril de 2015. Ele é suspeito de ter assassinado uma mulher de 20 anos. Seis meses depois, ele foi apreendido novamente suspeito de ter estuprado uma adolescente. Na época, Antônio ficou internado durante 15 meses, no Centro Socioeducativo Assistente Social Dagmar Feitosa, no bairro Alvorada, zona centro-oeste, em seguida começou a prestar serviço comunitário no local.

Apesar de Antônio não ter passagem na polícia por roubo, a frase dita pelo assassino chamou atenção da Delegacia Especializada. A equipe de investigação acredita que o crime possa ter sido motivado por vingança. O corpo de Antônio foi levado ao Instituto Médico Legal (IML).