Publicidade
Manaus
INSEGURANÇA

Após furto de placas de bronze, SEC pede mais policiamento para o Largo

A onda de furtos e assaltos, comum em bairros periféricos e até em áreas do Centro Histórico da cidade, agora também predomina no ponto turístico 19/08/2017 às 10:18 - Atualizado em 19/08/2017 às 10:19
Show 1262491
Segundo os moradores, um homem foi visto arrancando as placas do local (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Álik Menezes Manaus (AM)

O tempo que o Largo São Sebastião, no entorno do Teatro Amazonas, no Centro, era um ponto de encontro seguro para amazonenses e turistas está ficando apenas na memória das pessoas. A onda de furtos e assaltos, comum em bairros periféricos e até em áreas do Centro Histórico da cidade, agora também predomina no ponto turístico. Na última semana, as placas de bronze, que ficavam na calçada em frente às residências informando quem eram os antigos moradores dos casarões, foram arrancadas por um criminoso ainda não identificado.

Segundo o comerciante Laudair Lima, 49, proprietário do African House, localizado entre as ruas Costa Azevedo e José Clemente, na semana passada um criminoso, ainda não identificado, foi visto arrancando as placas de bronze da rua José Clemente. “Ele estava tão certo da impunidade que, dessa vez, levou todas as placas de bronze da calçada da José Clemente”, contou o comerciante. No total, o criminoso arrancou e levou sete placas.

Mas essa não foi a primeira vez que o homem atuou no ponto turístico. Segundo relatos de moradores do entorno do teatro e do comerciante, o mesmo criminoso foi visto retirando outras placas de bronze, mas nas calçadas da rua Costa Azevedo. Ao todo, ele levou 10 das 14 placas instaladas nas calçadas em frente às casas históricas. “Conversei com o vigia de um prédio aqui e ele me falou que o homem levava as placas na madrugada, quando o movimento é menor”.

Furtos frequentes

Os frequentadores e moradores da área comentam que os furtos e roubos haviam amenizado, mas voltaram a fazer parte da rotina de quem passa pelo local diariamente. Segundo a funcionária de uma loja, de 29 anos, que pediu para não ser identificada, as ações criminosas no largo começaram a ser frequentes no ano passado, mas aumentaram ainda mais a partir de janeiro desse ano.

Conforme relato da jovem, é possível ouvir pessoas correndo ou gritando após serem vítimas de assaltantes. Os moradores contaram à reportagem que os guardas que circulam no Largo São Sebastião nada fazem para inibir as ações criminosas e denunciam a ausência de policiamento ostensivo no ponto turístico. No local há câmeras de segurança, mas quem mora ou trabalha na área afirma que os equipamentos não funcionam há mais de seis meses.

Lanchonete é furtada duas vezes em cinco meses, no Centro

O comerciante Laudair Lima, 49, proprietário da lanchonete African Hause, contou que teve o empreendimento invadido e furtado duas vezes apenas neste ano. A última vez, o criminoso entrou pela porta da frente da lanchonete durante a madrugada de domingo para segunda-feira.

Do local, o bandido levou eletrodomésticos como liquidificadores e batedeiras e alimentos que estavam na geladeira. “Ele foi audacioso. Entrou por uma área que é muito bem iluminada e teve tempo de escolher muito bem o queria. Isso é revoltante”, disse.

A primeira vez que o bandido entrou na lanchonete foi há cinco meses, mas dessa vez arrombou a porta lateral. Ele levou até uma caixa com a renda do dia do comércio, além de eletrodomésticos. “A gente desconfia que seja a mesma pessoa porque ele age sempre da mesma forma. Ele demorou aqui e dentro e ninguém viu nada”, contou.

SEC renova pedido de policiamento no entorno do Largo

A Crítica entrou em contato com a Polícia Militar para questionar se há patrulhamento ostensivo no local. Por meio de nota, a PM informou que a 24ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) não recebeu denúncias no 190 sobre o furto das placas de bronze. A polícia também informou que o patrulhamento também é feito pela Polícia Turística (Politur) e conta com a atuação de vigilantes no entorno do Largo São Sebastião e Teatro Amazonas. No entanto, afirmou que vai intensificar as ações de segurança na região.

A Secretaria de Estado de Cultura (Sec) informou que renovou ontem o pedido de providências à Polícia Militar e a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) para reforçar a segurança do entorno do Largo, após últimos crimes ocorridos na área. Entre eles, o furto das placas de bronze.