Publicidade
Manaus
Manaus

Após incêndio, 80 famílias são retiradas de invasão na Zona Leste de Manaus

Moradores de uma área conhecida como Pista da Raquete foram retirados do local após serem acusados de cometer crime ambiental 07/11/2012 às 12:08
Show 1
Invasores observam a derrubada dos barracos do lado de fora da invasão
Bruna Souza e Evelyn Souza Manaus

Cerca de 80 famílias foram retiradas por policiais militares de uma área conhecida como Pista da Raquete, no bairro Nova Vitória, Zona Leste de Manaus, na manhã desta quarta-feira (7). A ação foi realizada por cerca de 100 policias do Comando de Policiamento de Área CPA-Leste, Canil e do Batalhão de Choque.  Além de viaturas, um ônibus e um helicóptero da polícia foram usados na reintegração de posse.  

De acordo com a polícia, os moradores foram retirados pacificamente da área por cometerem um crime ambiental. Desde as 15h desta terça (6), um incêndio de grandes proporções se formou em parte da invasão. Não se sabe quem deu início ao fogo, que só foi controlado no início da noite.

Moradores informaram que, anteriormente, um acordo foi feito com a polícia. Os invasores poderiam ficar no local se não cometessem nenhum crime ambiental.


O major Brandão do Batalhão de Choque da Polícia Militar disse que o crime ambiental (o incêndio em área verde) foi o motivo da desapropriação da área. “O crime foi constatado e por isso, os invasores estão sendo retirados. Todos já estavam cientes de que não poderiam degradar e manter a preservação da área”, disse.

Ainda segundo o major, a polícia continuará no local para garantir que os ocupantes não retornem à área. As famílias já tinham sido retiradas do local há três meses.

Suposto culpado

Segundo moradores, um dos invasores – conhecido apenas como “Berg” –, é apontado como suspeito de ter colocado fogo na área para fazer com que todas as famílias fossem retiradas.

De acordo com a presidente da associação dos comunitários de residentes em área de risco do Amazonas, Cristiana Venâncio da Costa, 42, os moradores não são os responsáveis pelo incêndio que destruiu grande parte da vegetação do local.  “Eu estou organizando uma parte da invasão e mostrando que esta área é de risco para estes moradores. A retirada foi pacifica e vamos esperar alguma atitude das autoridades, pois essas famílias não podem ficar na rua”, relatou a presidente.

Na reintegração de posse anterior, no último dia 10 de outubro, havia 255 famílias no local. O terreno mede aproximadamente 5.600 hectares e pertence a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).