Publicidade
Manaus
RENDEU

Jovem é chamada para entrevistas após expor cartaz pedindo um emprego

Além do chamado para as entrevistas, Dayana também recebeu ligações de pessoas a ofendendo por conta de sua orientação sexual 14/11/2017 às 19:04
Show dayana
Foto: Antônio Lima
Vitor Gavirati Manaus (AM)

Após a publicação da matéria contando a história da busca por empregos com cartaz nas ruas de Manaus, a jovem Tereza Dayana Sombra Pinheiro, 19, foi convocada para duas entrevistas de emprego e também recebeu diversas ligações de pessoas que a ofenderam por conta de sua orientação sexual.

Na próxima quinta-feira (16), Dayana, como prefere ser chamada, vai participar de seleções de emprego nas empresas LSL Transportes da Amazônia e Atacadão. “Para o Atacadão eu já havia mandado currículo, mas para a LSL não. Eu acredito que tenha sido por causa da matéria. Muita gente me ligou dizendo que havia visto a matéria ou que havia me visto na Internet”, afirma a jovem.

Cansada de entregar currículos e não receber respostas, Dayana deixou a vergonha em casa e foi para as ruas de Manaus, com um cartaz nas mãos, pedir uma oportunidade de trabalho. Fotos da jovem pedindo emprego em cruzamentos da cidade viralizaram na internet.

Ofensas

Além do chamado para as entrevistas de emprego, Dayana também recebeu ligações de pessoas a convidando para fazer bicos (trabalho informal) e a parabenizando pela iniciativa. Outras, no entanto, foram para “sacaneá-la”, como ela define. “Teve gente ligando e falando ‘você não vai conseguir emprego sua filha da p...*’, gente que se ofereceu para me bancar”, conta.

As ligações que mais a entristeceram foram as que a atacavam por conta de sua orientação sexual. “Algumas pessoas ligaram falando ‘ah, sua machuda’, ‘você não vai conseguir emprego, machuda’”, lamenta Dayana, que diz não se abalar com os comentários.

No aguardo das entrevistas

Nesta terça-feira (14), Dayana não foi para as ruas com o cartaz, como estava fazendo nos últimos dias. “Não consegui ir para a rua porque havia muita gente me ligando. E se eu pegasse o celular na rua, já viu, né?”, brinca a moça, referindo-se aos constantes roubos de celulares em Manaus.

Dayana está confiante com relação às entrevistas da próxima quinta-feira (16) e diz que não vai mais para as ruas até receber o resultado das entrevistas.