Publicidade
Manaus
Parque das laranjeiras

Comerciantes pressionam prefeitura para intensificar ritmo de obra em ponte

Obras na Avenida Nilton Lins estavam sendo realizadas até as 15h. Operários agora trabalharão em três turnos 04/10/2017 às 20:04 - Atualizado em 05/10/2017 às 07:59
Show 6551
(Foto: Euzivaldo Queiroz)
Silane Souza Manaus (AM)

A empresa responsável pelos serviços de reconstrução de uma ponte na avenida Professor Nilton Lins, bairro Parque das Laranjeiras, na Zona Centro-Sul, passará a trabalhar nos três turnos, a fim de acelerar o ritmo da obra. Foi o que garantiu, ontem, a prefeitura aos empresários da área, que reclamaram dos prejuízos causados pela interdição do trecho e da morosidade dos trabalhos no local, que estavam sendo feitos até as 15h nos últimos dias. 

Na reunião com os empresários, o vice-prefeito e secretário de Infraestrutura (Seminf), Marcos Rotta, também discutiu mecanismos para otimizar a circulação na área comercial do bairro. Um deles será a divulgação, pelos meios oficiais da Prefeitura de Manaus, de que o comércio da área continua funcionando normalmente no decorrer da obra. Ele ressaltou que a área onde está instalada a praça de alimentação não está interditada para tráfego de veículos e pedestres. 

O empresário Igor Gavinho, representante dos lojistas que ficam no entorno da obra, avaliou positivamente as medidas anunciadas, uma vez que, desde a interdição, no último dia 19, houve redução de aproximadamente 50% nas vendas dos estabelecimentos comerciais da área. “Esperamos que as mudanças aconteçam porque nesses 16 dias de obra não houve avanço nenhum nos trabalhos da ponte”, afirmou. 

Gavinho disse que só as obras de implantação das alças de retorno, que também estão sendo construídas no local, avançaram significamente. Essa obra está em fase da terraplanagem e, sequencialmente, irá receber a concretagem da pista e asfaltamento, de acordo com a Seminf. A previsão é que seja entregue simultaneamente à finalização das obras da nova ponte em concreto armado. “O secretário nos garantiu entregar dia 8 de novembro”, contou o empresário. 

Confusão

Apesar de já ter mais de duas semanas, a obra ainda confunde muita gente. O casal Romilson Almeida da Silva, 39, e Lúcia Marinho da Silva, 37, teve dificuldade para chegar a um órgão público situado naquelas mediações. O ônibus do transporte coletivo que o casal pegou desviou o percurso por causa da interdição e eles não sabiam da mudança porque não costumam andar por lá. “Tivemos que gastar duas passagens para trocar de ônibus e nenhum deles passou onde tínhamos que ficar. O pior é que não recebemos e nem vimos nenhuma informação nas paradas ou coletivos, o que complicou ainda mais”, disse Lúcia. 

Interdição para evitar acidentes

 A Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) informou que precisou intervir na área para evitar  riscos à população que circula no local, sendo inviável uma divulgação anterior à ação, uma vez que a obra é de caráter emergencial. 

No entanto, os serviços de interdição foram devidamente sinalizados e, diuturnamente, agentes de trânsito do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) estão no local orientando os motoristas. 

Os trabalhos no local estão ocorrendo dentro do prazo estabelecido para a obra, de acordo com a Seminf. Porém, a empresa responsável pelos serviços na ponte deverá intensificar o ritmo de trabalho para que, no menor espaço de tempo possível, ela seja entregue e o fluxo de trânsito no bairro seja normalizado. 

Obra preventiva

A Seminf informou que está atuando em caráter preventivo, evitando que possíveis acidentes ocorram. A obra da ponte teve início após laudo da Defesa Civil Municipal apontar risco de desabamento da estrutura.

LEIA MAIS

Comerciantes reclamam de queda no movimento por conta de interdição em rua

Interdição na Avenida Professor Nilton Lins altera itinerário de linhas de ônibus