Publicidade
Manaus
Manaus

Após suposto erro de enfermeira, bebê respira com ajuda de aparelhos

De acordo com a tia da criança, a autônoma Poliana Gonzaga da Silva, 29, o menino apresenta febre alta e inchaços pelo corpo, principalmente na cabeça 26/11/2012 às 14:42
Show 1
Criança segue internada na UTI do PSC da Zona Sul
Thiago Gonçalves Manaus (AM)

O bebê de quatro meses, que segundo denúncia da família, recebeu medicamento errado após passar mal e dar entrada no Pronto Socorro da Criança em Manaus, está respirando com a ajuda de aparelhos.

Os familiares afirmam que houve negligência durante o atendimento médico ao paciente, neste domingo (25). Segundo eles, o menino apresentava apenas sintomas de virose e acabou sendo encaminhado para UTI após receber medicação, aplicada por uma enfermeira.

De acordo com a tia da criança, a autônoma Poliana Gonzaga da Silva, 29, o bebê apresenta nesta  segunda-feira (26) febre alta e inchaços pelo corpo, principalmente na cabeça. “Ele está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), respirando com a ajuda de aparelhos. Está como muita febre”, disse a irmã do pai da criança, um adolescente de 16 anos.

O menino é acompanhado pela mãe, que também é adolescente. Segundo Poliana Gonzaga, a unidade hospitalar não permite a entrada dos familiares a não ser da mãe e do pai, e dão poucas explicações.

“Eles (os enfermeiros e médicos) não deixam a gente ver a criança. Não dão as informações necessárias que a gente pede. Ontem (esse domingo) à tarde foi preciso fazer alvoroço para poder o pai entrar e ver o filho, depois de um dia inteiro de espera”, contou a tia do bebê.

A família também afirma que não teve acesso ao histórico de atendimento médico da criança. A tia comentou que os familiares estão revoltados com a situação e pedem providências. Segundo Poliana, o pai da criança não aceita o que aconteceu com o filho.

“A gente tem certeza que foi aplicado medicamento errado na veia dele. O menino não estava ruim como agora. O pai, o meu irmão, disse que o filho está irreconhecível. Nós queremos ajuda”, desabafou a familiar.

Os familiares da criança registraram o caso no 7º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na Zona Sul.

Susam
A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou, por meio da sua assessoria de imprensa, que vai enviar nota com novos esclarecimentos, após o levantamento de informações.