Publicidade
Manaus
Manaus

Arthur Neto tem candidatura à Prefeitura de Manaus confirmada

Secretaria-geral do PSDB no Amazonas confirma a candidatura do ex-senador Arthur Virgílio Neto a prefeito de Manaus 14/06/2012 às 15:38
Show 1
O ex-senador Arthur Neto discursa durante a homenagem ao pai dele, na Reitoria da Ufam, nos 50 anos da FUA
LUCIO PINHEIRO Manaus

O PSDB confirmou, nessa quarta-feira (13), a candidatura do ex-senador Arthur Virgílio Neto à Prefeitura de Manaus nas eleições de outubro. O secretário-geral da sigla no Amazonas, Mário Bastos, disse que a decisão não tem volta e será anunciada na terça-feira. “É irreversível, irrefreável. O nosso candidato é o Arthur”, declarou Bastos a A CRÍTICA.

Arthur Neto não negou e nem confirmou a decisão. Mas ratificou que o candidato do PSDB será conhecido na terça-feira. “O que posso dizer é que eu vou anunciar o candidato do partido”, afirmou o ex-senador na tarde de ontem, minutos antes de embarcar para São Paulo, onde se reuniria com lideranças tucanas.  O nome de Arthur já aparecia na lista de candidatos a prefeitos nas capitais brasileiras feita pelo PSDB nacional.

Mário Bastos disse que a previsão é que o anúncio da candidatura de Arthur Neto seja feito às 10h da terça-feira, na sede do PSDB, na rua Rio Javari, bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul de Manaus. A convenção do PSDB, que no calendário eleitoral é o momento em que as siglas oficializam candidatos e coligações, está marcada para o dia 30.

Desafeto

Em entrevista a A CRÍTICA, na terça-feira, Arthur Neto afirmou que tinha dúvidas em ser candidato. Mas que uma eventual candidatura do desafeto político dele, o senador Eduardo Braga (PMDB), seria suficiente para ele cessar os questionamentos e entrar na disputa no mesmo minuto. Procurado, a assessoria de Braga disse que o senador retornaria as ligações da reportagem, o que não aconteceu.

Na segunda-feira, Eduardo Braga declarou não descartar a briga pela Prefeitura de Manaus. E afirmou que respeitava a experiência política e a pré-candidatura de Arthur Neto. O ex-senador tucano retribuiu a “cordialidade” do adversário, e disse que Braga seria “bem-vindo ao páreo”. “Entendo que a candidatura dele (Braga) engrandece o processo. É certeza de um bom nível de discussões”, comentou Arthur.

Há um mês, em entrevista a A CRÍTICA, Arthur Neto aconselhou Eduardo Braga a ficar longe do páreo para o qual agora é “bem-vindo”. “Se eu fosse ele (Braga), deixaria as futricas locais de lado, e me dedicaria à missão (de líder do governo) com o máximo de seriedade, porque o lugar onde ele está não é Disneylândia”, disse o ex-senador no dia 13 de maio.

Braga no páreo

Eduardo Braga afirmou esta semana que depende do consenso, do diálogo e união do grupo político ao qual pertence a decisão de se lançar candidato. O ex-governador mantém o prazo do dia 30 de junho – data da convenção do PMDB – para definir o nome do partido que vai disputar a eleição ou se vai encabeçar a chapa do grupo político comandado por ele e pelo governador Omar Aziz (PSD).

Com o anúncio da candidatura de Arthur Neto, sobe para cinco os nomes já confirmados de pré-candidatos na corrida eleitoral deste ano. Além do líder tucano, prometem concorrer à Prefeitura de Manaus o deputado federal Pauderney Avelino (DEM), o ex-prefeito Serafim Corrêa (PSB), o vereador Hissa Abrahão (PPS) e o engenheiro Jerônimo Maranhão (PMN).

Reeleição brecada

Derrotado nas eleições de 2010, Arthur Neto disse ter certeza que teve a reeleição para o Senado surrupiada pela compra de votos no interior do Amazonas. Ele aponta Eduardo Braga como artífice da suposta fraude que elegeu a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB). O ex-senador municiou o Ministério Público de supostas provas do crime, em ação movida pelo órgão contra Braga e Vanessa.

Arthur foi prefeito de Manaus de 1989 a 1993, sucedido por Amazonino Mendes (PDT). Em 2006, quando concorreu ao Governo do Amazonas, recebeu 74,9 mil votos, o equivalente a 5,5% do total.  Braga foi o eleito. Em 2010, quando concorreu e perdeu a reeleição, o tucano teve 644 mil votos, 391 mil em Manaus.