Publicidade
Manaus
Manaus

Artur ameaça sair do PSDB caso senadores do seu partido votem contra interesses da ZFM

Durante visita às obras de restauração do Mercado Adolpho Lisboa, Artur criticou a postura dos colegas de partido e citou o governador de SP Geraldo Alckmin 20/03/2013 às 09:54
Show 1
Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso visitou Manaus, em 2012, quando Artur Ainda estava definindo se seria candidato
kleiton renzo ---

Nem PSB, muito menos PSD. Se sair do PSDB o prefeito Artur Neto (PSDB) disse, nesta terça-feira (19), que poderá “encerrar sua carreira na política”. O tucano afirmou que poderia deixar a legenda se os senadores do PSDB ficarem contra os interesses da Zona Franca de Manaus (ZFM) na votação da medida provisória (MP) que muda o cálculo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos Estados.

Durante visita às obras de restauração do Mercado Adolpho Lisboa, Artur Neto criticou a postura dos colegas de partido e citou o governador de São Paulo Geraldo Alckmin. “Não tenho tempo a perder com eles (PSDB nacional) se não mostrarem solidariedade nesse momento (votação do ICMS de 12% para o Amazonas). Então que fiquem com Alckmin e aquela boca presa dele, e deixem a minha boca solta para eu poder tocar a minha vida do jeito que o destino me indicar”, disse Artur. No ano passado, no início da campanha eleitoral, Alckmin entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF) questionando os benefícios da ZFM.

O prefeito voltou a repetir que sua possível saída do PSDB está ligada à postura dos senadores tucanos no dia 26, quando deve entrar em pauta a votação da MP. “Eu estou muito tranquilo quanto a isso. Se por ventura os senadores do meu partido votarem contra a excepcionalização para o Amazonas em matéria de ICMS, já disse a eles que não vou perder tempo de explicar ou ter reunião. Simplesmente vou mandar uma carta e sair do partido”, disse Artur. O único “comunicado da saída”, disse Artur, “de minha maior estima pessoal, que vai me entender, como sempre, entendeu, é o presidente Fernando Henrique Cardoso. Para os outros não vou dar a menor confiança”, afirmou Artur, ex-ministro de FHC.

Em Brasília

O prefeito viajou na noite desta terça-feira para Brasília. Na agenda oficial ele deve participar das discussões do pacto federativo que ocorrem nesta quarta-feira (20), mas comenta-se que o prefeito irá procurar senadores e deputados federais tucanos para discutir o encaminhamento da votação do ICMS no Congresso Nacional.

“Se eu perceber que tem alguma possibilidade de ajudar o município, eu farei. Se perceber que tem alguma aberração contra nós, eu protestarei e se perceber que está tudo bem, eu vou ficar calado. Vou aos ministério no período da tarde e à noite, pretendo voltar à Manaus”, declarou Artur em nota enviada pela Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom).

Bisneto diz que seguirá o pai

Na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), o filho do prefeito Artur Neto (PSDB), deputado estadual Arthur Bisneto (PSDB), afirmou que seguirá o caminho que o pai decidir em relação à saída ou não do PSDB.  “Se o prefeito decidir por esse caminho (sair do PSDB) eu vou seguir. Essa devoção que nós temos que dedicar pelo Amazonas tem que ser proporcional à nossa vida”,  disse Bisneto.

O deputado disse que está ciente de uma eventual denúncia por infidelidade partidária do Ministério Público Eleitoral (MPE) se a desfiliação ocorrer. “O MPE tem que se posicionar em qualquer caso ou processo político. Ele está lá justamente pra isso”, afirmou.