Publicidade
Manaus
Manaus

Artur diz que será uma honra receber Dilma 'quando for prefeito' de Manaus

Ao falar do resultado do primeiro turno das eleições, o tucano, que ficou à frente da comunista Vanessa Grazziotin nesta primeira etapa das eleições, disse que está "dois a zero" para ele 07/10/2012 às 21:01
Show 1
Artur Neto e o candidato a vice, Hissa Abrahão, comemoram ida ao segundo turno na disputa para a Prefeitura de Manaus
Ana Carolina Barbosa Manaus

Candidato à Prefeitura de Manaus com o maior percentual de votos no primeiro turno (40,55%, o equivalente a 385.855 votos), Artur Virgílio Neto (PSDB) disse, em entrevista coletiva, que para ele, "será uma honra receber a presidente Dilma (Rousseff – PT) como amazonense (em uma eventual visita para participar da campanha de Vanessa Grazziotin – PCdoB), e depois, "quando eu for prefeito". "O mesmo se aplica ao (ex) presidente Lula".

Ao falar do resultado do primeiro turno das eleições, o tucano, que ficou na frente de Vanessa Grazziotin (ela obteve 19,95% dos votos válidos) nesta primeira etapa das eleições, disse que o placar da disputa entre ambos está "dois a zero" para ele, já que na eleição de 2010, quando concorreu ao Senado, sem sucesso, teve votação superior a de Vanessa na capital, muito embora ela tenha sido eleita.

Artur também lembrou que agora terá melhor oportunidade de mostrar propostas à população, já que seu programa eleitoral, que no primeiro turno tinha pouco mais de três minutos, terá, agora, dez minutos.

Sobre o comentário feito por Vanessa, há alguns dias, ao jornal Valor Econômico, de que se fosse confirmada a dupla no segundo turno, a disputa seria "sangrenta", Artur Neto assegurou que "não", e disse que tratará a adversária com cavalheirismo e respeito.

Em relação aos eventuais apoios no segundo turno, o tucano, embora não tenha confirmado nada de concreto, demonstrou entusiasmo ao falar de Serafim Corrêa (PSB), que ficou em quarto lugar neste pleito, com 11,64% dos votos.

De acordo com ele, ainda não há definição sobre este assunto, mas garantiu que respeita muito o terceiro colocado, Henrique Oliveira (PR), e que tem afeto por Serafim, com quem "caminhou" em outras ocasiões, inclusive na campanha de 2008, quando o socialista recebeu o apoio do tucano.