Publicidade
Manaus
Manaus

Bairro completa 18 anos de existência e apresenta velhos problemas em Manaus

Dezoito anos depois da ocupação da terceira etapa do bairro Zumbi dos Palmares, moradores do local continuam reclamando da necessidade de segurança e infraestrutura 20/02/2012 às 12:48
Show 1
A moradora Doralice Coelho da Cunha, que estava sábado no Campo da Liga, com filhos e netos, festejando o aniversário do bairro, ressaltou carências da área
Ana Celia Ossame Manaus (AM)

O bairro do Zumbi 3, situado na Zona Leste de Manaus, comemorou 18 anos de existência no último sábado, com festa no Campo da Liga, o maior existente na área, com festa, mas também com reflexões sobre as principais necessidades da comunidade. Roberto da Silva, 45, lembra que a invasão foi comandada pela irmã Helena Walcoltt, mas que o assassinato de uma jovem teria sido o estopim da ocupação que foi justificada com a busca da redução da violência. Hoje, quase duas décadas depois, Roberto diz que a reivindicação é a mesma. “Precisamos de mais segurança porque em algumas áreas a criminalidade é alta no bairro, além de água e esgoto”, disse.

Morador do há 26 anos do local onde começou o Zumbi 3, Roberto conta que o Governo do Estado já havia iniciado a distribuição de lotes para famílias sem teto e a dele foi uma das contempladas. Ele conta que eram 60 lotes, mas o processo foi interrompido com a invasão comandada pela irmã Helena (ver personagem), que naquela época realizou a ocupação de várias áreas da cidade.

Transporte
Nos 18 anos do bairro, Roberto relaciona outras reivindicações como a recuperação das três principais ruas do bairro, a Açaí, Marajá e Bom Jesus, estão sem condições diante do aumento do fluxo de veículos ocasionado pelas obras do viaduto que está sendo construído no bairro de São José pela Prefeitura de Manaus. Segundo ele, a obra é importante, mas é preciso dar um reforço nas vias que não estavam preparadas para receber tantos veículos diariamente.

A melhoria no transporte público é outro pedido dos moradores, que também querem linha direta para o Centro da cidade visando reduzir o tempo do percurso, que obriga os trabalhadores a acordar muito cedo para chegar a tempo no local de trabalho. Melhoria no abastecimento de água, que não é diário, é outra reivindicação.

Roberto destaca a preservação da vegetação nas casas, o que dá ao bairro um cenário mais bonito. E diz que mesmo com todas as dificuldades, o Zumbi 3 é um bom local para viver.

Essas dificuldades são repetidas por moradores como Doralice Coelho da Cunha, 52, mãe de três filhos e avó de seis netos. “Estou aqui desde o começo, quando a irmã Helena organizou a invasão”, disse a dona de casa, explicando cuidar dos lotes que recebeu desde sempre porque não tinha outra condição para adquiri-lo se não fosse dessa forma, naquela época.

Segundo Doralice, a organização e a necessidade por um terreno foi a motivação e a principal causa do acerto da invasão que deu origem ao Zumbi 3. “Graças a Deus deu certo e estou aqui até hoje”, afirmou.