Publicidade
Manaus
Manaus

Balsas esperam por reformas de R$ 2,5 milhões em Manaus

A promessa do Estado era reformar as balsas logo após a inauguração da ponte Rio Negro. Já se passaram dois anos e o projeto apenas engatinhou 16/03/2013 às 12:24
Show 1
Balsas esperam por reformas para retornarem ao serviço
Nelson Brilhante ---

Apenas uma das seis balsas do Governo do Estado que faziam a travessia do porto do São Raimundo ao Cacau Pireira está sendo usada na travessia do Ceasa para o Município do Careiro da Várzea. As demais continuavam paradas no porto de origem, uma sendo reformada e quatro em compasso de espera pela reforma. Enquanto isso, três empresas particulares operam três embarcações que atravessam carros e passageiros, a cada uma hora e meia, na Ceasa.

A promessa do Estado era reformar as suas balsas logo após a inauguração da ponte Rio Negro. Já se passaram dois anos e o projeto apenas engatinhou.

O anúncio do Governo era de que iria deslocar quatro delas para o porto da Ceasa e duas serviriam os usuários que fazem as travessias entre o Município do Careiro e os Municípios de  Autazes e  Manaquiri.

De acordo com a assessoria de comunicação da Superintendência Estadual de Navegação, Portos e Hidrovias (SNPH), o Estado não renovou o contrato com os proprietários das balsas, apenas ganhou um tempo de forma legal. “Por conta de um decreto assinado em fevereiro de 2012, ficou estabelecido que, somente após dois anos o Governo volta a assumir diretamente a responsabilidade pelo serviço. Não estávamos em condições de usar as seis balsas, de forma adequada, por já estarem velhas. A reforma de cada uma custa em torno de R$ 2,5 milhões e isso não é coisa que se faça em pouco tempo”, disse o assessor da SNPH, Marinaldo Matos.

A respeito da permanência das empresas particulares operando no porto da Ceasa, Marinaldo garante que não recebem nada do Estado, além do direito de exploração da travessia por mais dois anos e sob condições.