Publicidade
Manaus
'LEVE ALTA'

Banana e farinha são alguns dos vilões da cesta básica em abril, diz Dieese

Com o aumento do valor da cesta, Manaus segue ocupando a 14ª colocação no ranking das cestas mais caras, dentre as 27 capitais onde é realiza a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos 11/05/2016 às 11:34 - Atualizado em 11/05/2016 às 14:16
Show farinha e banana
Nove produtos apresentaram alta e três tiveram queda nos seus preços no mês analisado. A banana (13,37%) foi o produto que apresentou maior alta no mês seguido da farinha (10,31%), da manteiga (5,88%) e outros seis produtos
ACRITICA.COM Manaus (AM)

A capital amazonense registrou leve alta no valor da cesta básica, registrando R$ 383,72 no mês de abril, ante R$ 381,52 do mês anterior. Com o aumento do valor da cesta, Manaus segue ocupando a 14ª colocação no ranking das cestas mais caras, dentre as 27 capitais onde é realiza a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos.

De acordo com informações do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o preço da cesta básica, composta por 12 produtos, aumentou 0,58% em relação ao mês de março.

Alimentos

Nove produtos apresentaram alta e três tiveram queda nos seus preços no mês analisado. A banana (13,37%) foi o produto que apresentou maior alta no mês seguido da farinha (10,31%), da manteiga (5,88%), do açúcar (5,36%), do arroz (5,02%), do café (4,57%), do feijão (2,24%), do leite (1,84%) e do óleo (1,66%). O tomate (-11,19 %) foi o produto que apresentou maior queda no mês seguido da carne (-2,03 %) e do pão (-1,69 %).

A banana apresentou forte alta no mês (13,37%). Persistiram fatores climáticos que afetam negativamente a oferta do produto na capital amazonense. Os preços mudam a cada mês, em sentido contrário, si em um mês apresenta alta, no mês seguinte cai. Esse foi o comportamento dos últimos três meses. No ano, foi o produto que apresentou maior alta, onde a variação acumulada passou de (26,31%) no mês anterior para (43,19%) este mês.

A farinha de mandioca foi o segundo produto da cesta de alimentos de Manaus que mais aumentou de preço no mês e mostrou variação em relação ao mês anterior de (9,48%). A oferta de mandioca esteve reduzida nos meses anteriores devido ao clima, e apesar da colheita voltar ao normal, a farinha ainda segue com preço alto no varejo na maioria das capitais do norte e nordeste do país. No acumulado do ano, apresentou variação de (41,53%).

Alta x redução

Em abril, em 15 das 27 capitais do Brasil houve redução do custo do conjunto de alimentos básicos e em outras 12, foram observados aumentos, conforme indica a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

As quedas mais expressivas ocorreram em Brasília (-3,84%), Palmas (-2,97%) e Belo Horizonte (-2,35%) e as maiores altas foram verificadas em João Pessoa (3,96%), Recife (3,27%), Natal (2,61%) e Boa Vista (2,52%). São Paulo foi a capital com maior custo da cesta básica (R$ 442,42), seguida de Florianópolis (R$ 438,56) e Rio de Janeiro (R$ 433,96). Os menores valores médios foram observados em Natal (R$ 334,49), Rio Branco (R$ 343,86) e Salvador (R$ 344,29).

Salário mínimo necessário é R$ 3.716,77

Com base no total apurado para a cesta mais cara, a de São Paulo, e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o DIEESE estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário. Em abril de 2016, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.716,77, ou 4,22 vezes mais do que o mínimo de R$ 880,00.