Publicidade
Manaus
PRAIAS DE VAZANTE

Banhistas de praia de vazante reclamam da ausência de salva-vidas em Manaus

Locais como a 'Praia da Ponte', formada neste período de seca amazônica logo ao final da Ponte Rio Negro, sentido Cacau-Pirêra/Iranduba, registram esse problema 23/09/2017 às 05:00
Show praiadaponte
Na praia da Ponte, crianças brigam sem nenhuma segurança, salva-vidas ou aparato médico: risco existe mas não existe serviço em caso de um acidente / Fotos: Jander Róbson / Free Lancer e Antonio Lima
Paulo André Nunes Manaus (AM)

A ausência de salva-vidas e de policiamento são dois dos principais problemas relatados por quem frequenta as praias formadas neste período de vazante. Locais como a “Praia da Ponte”, formada neste período de seca amazônica logo ao final da Ponte Rio Negro, sentido Cacau-Pirêra/Iranduba, registram esse problema.

O mais agravante, de acordo com banhistas ouvidos pela reportagem de A CRÍTICA, é que muitas crianças freqüentam aquela área levados por seus pais ou responsáveis. Com a palavra, os banhistas.

Maikon da Silva, 29, e a esposa Ana Paula dos Santos Vasconcelos, 24, são pais de Lucas Victor, 2, e Deisiane, 4, e moram na Compensa 3, Zona Oeste. Visitando recentemente a Praia da Ponte, eles falaram que faltam salva-vidas

“Temos receio de trazer nossas crianças prá cá, pois sabe como os pequenos são, né? Tem toda hora que estar olhando. Nós também freqüentamos a Ponta Negra, mas lá tem salva-vidas. Falta desse lado agora. Que o nosso governador nos ajude”, conclama ele, que é montador naval.

Insegurança

O trabalhador reclamou da ausência de iluminação no local, o que gera insegurança. “A Polícia Militar não passa por aqui”, alerta ele.

Para a dona de casa Bruna Alves da Costa, que estava com o marido, o bombeiro hidráulico e motorista Francisco Alexandrino, mais a pequena Cristine, de apenas 7 meses de idade, na praia da Ponta Negra, “o trabalho dos salva-vidas é muito importante, e tirar as pessoas da água no horário determinado visa a segurança da população”.

Ela ressalta que a escuridão deixa as coisas mais difíceis ainda em relação aos pequenos.

“Há muitas pessoas com crianças de colo, como nós, mas há outras que já andam e cujos pais, quando estão se divertindo, deixam a criança escapar. A gente não sabe o que pode acontecer à noite e na água”, fala ela, em tom de temor.

Delimitação de horário

Em determinação da Prefeitura de Manaus e Corpo de Bombeiros, há salva-vidas presentes na praia da Ponta Negra em dias úteis de 9h às 17h, e aos sábados, domingos e feriados de 8h às 17h. Após esses horários fica proibida a entrada na água justamente pela ausência dos guarda-vidas.  

“Frequentamos de vez em quando a Ponta Negra, mas sempre que estamos por aqui verificamos a existência de salva-vidas e de pessoas (guarda municipais) recolhendo os banhistas fora da água no horário”, completa ela, que junto com o marido concorda com a delimitação de horários.

Frase

Temos receio de trazer nossas crianças prá cá, pois sabe como os pequenos são, né? Tem toda hora que estar olhando para eles. 

Maikon da Silva, montador naval, na praia da Ponte

Bombeiros diz que não projetos para praias de vazante

Por meio de  sua assessoria de comunicação, o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas informou que, quanto ao destacamento de salva-vidas vidas para praias que se formam com a enchente ao redor de Manaus e em outras cidades “não há projetos nesse sentido, visto que a praia não é regular, diferente da Ponta Negra”.

Além disso, informou a assessoria, “no caso da Ponta Negra, há uma parceria entre o Corpo de Bombeiros e a Prefeitura, disponibilizando assim um ambiente seguro para  os banhistas. Devido a imensa malha hidrográfica do Estado do Amazonas, é inviável que o corpo de bombeiros monte prevenção em todas as possíveis áreas de banho. Em virtude disso, atuamos sempre no sentido de orientar os banhistas para que procurem realizar o lazer e os banhos em áreas onde já existam guarda-vidas, quer em lugares públicos quer em lugares particulares”.

Sobre o horário-limite que há para os banhistas na Ponta Negra, os Bombeiros informaram que ele é uma determinação conjunta com a Prefeitura de Manaus. “O termo de ajustamento de conduta em relação ao uso do balneário prevê assim o início e término dos trabalhos dos guarda-vidas no local. Esse horário é o previsto em todos os corpos de bombeiros, pois compreende um horário útil de visibilidade e utilização da praia”, informou a assessoria.

Polícia Militar

A reportagem tentou contato com a assessoria de comunicação da Polícia Militar em busca de informações sobre se há algum projeto ou iniciativa para destacar segurança para praias que se formam com a vazante, ao redor de Manaus e em outras cidades, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição.
Praias como a Ponta Negra já recebem policiamento militar.