Publicidade
Manaus
Manaus

Busto de ex-governador do Amazonas é pintado de azul

Ato de vandalismo contra o monumento erguido em homenagem ao ex-governador do Amazonas revolta manauenses 18/07/2012 às 21:19
Show 1
A estátua, que está sem identificação, teve partes coberta com tinta azul
jornal a crítica Manaus

As estátuas e monumentos instalados nas praças existentes em Manaus homenageiam personalidades importantes da nossa história e permitem conhecer um pouco da nossa história. Mas, muitos desses monumentos não recebem o cuidado adequado nem do poder público e nem da população, que constantemente depreda de várias formas.

Um exemplo recente é o busto do ex-governador Álvaro Maia, instalado no boulevard que leva o nome dele, na Praça 14 de Janeiro, Zona Centro-Sul, que por vários anos permaneceu com pichações e recentemente, foi “cuidadosamente” coberto com uma tinta azul cobrindo os cabelos e a roupa. Há vários anos, inclusive, não há nem placa de identificação no monumento, que foi arrancada.

O fato vem gerando protestos de manauenses que pedem providências para limpar o monumento e buscar identificar os responsáveis pelo vandalismo. O busto está nas imediações do Cemitério de São João Batista e, segundo Jorge Guimarães, 56, administrador que trabalha nas imediações, as agressões já vêm há algum tempo. Para ele, como é difícil impedir vandalismos desse tipo, a prefeitura poderia tentar identificar os criminosos, por meio das câmeras eletrônicas, e obrigá-los a limpar o monumento.

Desrespeito
O professor aposentado José Renato Pereira, 65, que foi acender velas no Cemitério São João Batista, como faz todas as segundas-feiras, disse ficar triste em ver a ação de “marginais” em desrespeito à nossa história. Para ele, quem cometeu a ação teve muito tempo porque tomou o cuidado de cobrir só algumas partes. Estudos revelam que Maia, conhecido como “príncipe dos poetas” tinha uma linguagem própria que mesclava elementos  da realidade amazônica (a floresta, os rios, o caboclo, o seringueiro), como afirma, em  sua tese de mestrado Paula Mirana de Souza Ramos, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

A assessoria de imprensa da Semulsp informa que o órgão vai enviar um técnico para avaliar o tipo de material utilizado no vandalismo para definir como ele será retirado. A remoção será feita ainda hoje, garantiu a assessoria do órgão.

Homenageado foi governador do AM
Álvaro Botelho Maria foi interventor federal no Amazonas após a Revolução de 1930 e depois foi eleito  deputado à Assembleia Nacional Constituinte, senador da República em 1935.   Logo depois, em eleição indireta, foi eleito governador constitucional do Estado, cargo para o qual foi eleito novamente no período de 1951 a 1954.