Publicidade
Manaus
Manaus

Caixa Econômica realiza renegociação 'camarada'

A Caixa Econômica Federal está oferecendo isso para clientes que estão em débito. Os descontos vão até 90% 29/03/2012 às 08:48
Show 1
R$ 1 milhão é o valor que alguns débitos na Caixa referentes a processos judiciais comerciais
RENATA MAGNENTI Manaus

A Caixa Econômica Federal inaugurou ontem o mutirão de conciliação extrajudicial comercial de dívidas provenientes de empréstimos pessoais, que vão de R$ 10 mil a R$ 1 milhão. Os devedores estão sendo convocados para negociar seus débitos, com descontos que podem chegar a 90% do total da dívida, incluindo juros e correções monetárias.

O cliente que hoje deve à Caixa R$ 100 mil entre dívida, juros e correções monetárias poderá pagar somente R$ 10 mil, dependendo do contrato firmado com o banco. A explicação é do gerente jurídico regional da Caixa, Alcefredo Souza. Segundo ele, a avaliação de cada processo varia de acordo com o tempo da dívida, o valor dela e a quem pertence, se pessoa física ou jurídica. “Tudo é definido dependendo do histórico da dívida, mas os descontos são atrativos, a fim de que os débitos sejam quitados”.

Justiça

Este primeiro mutirão contemplou 116 devedores que tomaram empréstimos bancários há mais de dez anos. Atualmente, a Caixa tem em torno de 3.500 processos na Justiça e a meta é realizar um mutirão a cada mês para minimizar essa demanda. Ontem, foram selecionados um total de 121 processos, já que alguns devedores têm mais de um deles na Justiça. Neste formato, a negociação se torna extrajudicial e é estabelecida entre o devedor e a Caixa. O acordo é encaminhado à Justiça para homologação.

Segundo Souza, a morosidade do Poder Judiciário é o que interfere na execução dos processos. Somente para notificar o devedor de que sua dívida ingressou na Justiça demora-se quase seis meses. “Buscamos facilitar a vida do devedor, dando a ele a oportunidade de negociação. Temos oferecido descontos vantajosos, que evita a restrição cadastral, bem como a cobrança judicial”.

Por serem créditos ajuizados e antigos, manter um processo na Justiça representa custo para a Caixa Econômica. Diante de dívidas tão antigas, vale mais a pena oferecer um desconto significativo a manter o processo na Justiça. A Caixa Econômica, de acordo com o gerente Souza, é o segundo colocado no quesito de maior demanda de processos na Justiça, perdendo somente para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Isso tem levado o banco a se colocar à disposição para negociar também com os demais devedores que não foram convocados a comparecer ao mutirão de ontem, e que também têm processos ajuizados.

Caixa aberta a renegociar com inadimplentes

Os devedores que desejam quitar seus débitos devem comparecer a uma agência da Caixa Econômica munidos dos documentos pessoais, como CPF ou RG.

Em Manaus, a Caixa tem 15 agências, sendo algumas dentro de shoppings como no Amazonas e São José.

Qualquer agência da Caixa está habilitada para atender o devedor. Isso ocorrerá entre 9h e 15h.

Cada devedor deve procurar a gerência referente à sua dívida seja de pessoa física ou jurídica. Após a negociação o processo judicial acordado é encaminhado à Justiça para homologação. A Caixa realizará um mutirão extrajudicial comercial uma vez por mês para diminuir o volume de processos judiciais.

O mutirão atende inadimplentes que tomaram empréstimo pessoal do banco público.

Demais inadimplentes também podem procurar as agências da Caixa para renegociar suas dívidas independentemente de ações específicas.

A Caixa ocupa o segundo lugar no quesito de ações judiciais envolvendo instituição e devedor, perdendo apenas para o INSS.