Publicidade
Manaus
Manaus

Calor, umidade e falta de higiene favorecem para o aparecimento da doença conhecida como 'pano branco'

Problema causado por fungos  é simples, mas precisa ser combatido rapidamente com remédios, cremes e shampoos 11/07/2012 às 08:06
Show 1
Luiz Cláudio Dias conta que medicamentos estão disponíveis na rede pública e que doente pode ser tratado em UBS
Milton de oliveira Manaus

Período de sol em que vive a cidade de Manaus, a umidade da região e a pele oleosa são fatores que podem propiciar o surgimento da pitiríase versicolor, doença  mais conhecida como “pano branco”. Ela surge em  partes do corpo como o rosto, tronco, braços e pernas. Os dermatologistas lembram ainda que o surgimento da doença está relacionado também à imunidade baixa da pessoa e à falta de higiene pessoal.

De acordo com a dermatologista Greicianne Nakamura, o fungo que provoca a doença é oportunista. “O corpo produz substâncias que podem impedir o surgimento da doença, mas, por exemplo, depois da atividade física, uma roupa suada, corpo quente, umidade, são situações que podem provocar o pano branco”, destacou a médica, acrescentando que a roupa deve ser trocada por outra limpa e seca logo após a realização da atividade.

Ainda conforme a médica, o fungo que provoca a doença é chamado de ptyrosporum ovale, habita normalmente na pele, mas  quando a imunidade está diminuída ele  tende a se proliferar gerando os sintomas da doença.

“O pano branco pode surgir em pessoas de qualquer classe social, mas as da classe baixa, estão mais expostas, devido às condições externas.

O dermatologista da Fundação Alfredo da Matta (Fuam) Luiz Cláudio Dias lembra que a doença não leva à morte nem causa deficiência física, mas deve ser tratada e tem cura.

“Dependendo da extensão da doença, ela deve ser tratada com cremes, medicamentos orais, como comprimidos, e até shampoos”, afirmou. Ele disse também, que os medicamentos antifúngicos estão disponíveis na rede pública de saúde e acrescentou que as pessoas afetadas devem procurar as unidades básicas de saúde (UBS).

O médico lembrou que os fungos gostam de ambientes quentes e úmidos e podem ser passados de uma pessoa para outra por meio da toalha e até mesmo de um pente. “Porém, adoecer ou não, depende da quantidade de fungos e da resistência de cada indivíduo. O importante, é que as pessoas façam a higiene adequada, troquem diariamente de roupas e usem roupas mais leves”, orientou.

Segundo a Secretaria de Saúde, o pano branco é considerado uma dermatites simples, uma inflamação das camadas superficiais da pele, e não há dados registrados da doença, que pode ser detectada também por clínicos gerais.

“As populações mais pobres, sem saneamento, excluídas da moradia adequadas, são as que mais adoecem de problemas de pele e de outras doenças infecciosas”, sublinhou Luiz Cláudio.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2010, aproximadamente 3,6 mil domicílios não tinham banheiro, nem sanitário, o que corresponde a 12,7 mil moradores. Mais de 3 mil domicílios particulares permanentes jogavam o lixo em terreno baldio ou logradouro, o que corresponderia a mais de 13 mil pessoas. Locais como estes são ideais para o surgimento, nessa época do ano, de casos de pano branco.

Sintomas
Conforme a página eletrônica “Tua Saúde”, os sintomas de pano branco são: manchas amareladas ou esbranquiçadas na pele em formato cilíndrico e descamação da pele. As lesões são recobertas por fina descamação que, às vezes, só é percebida quando se estica a pele e alguns pacientes podem apresentar coceira

Confusão
O pano branco, pode ser confundido com outras doenças de pele, como a hanseníase.

Diagnóstico
O médico dermatologista é capaz de identificar o pano branco somente ao visualizar a pele e o couro cabeludo do indivíduo.

3,6 Mil domicílios em Manaus  não tinham banheiro, conforme Censo do IBGE de 2010. Essas condição favorece a pouca higiene e a proliferação de doenças como o pano branco.