Publicidade
Manaus
Manaus

Candidato manda quebrar poço artesiano depois de perder as eleições em Manaus

Moradores afirmam que utilizavam água do poço há mais de duas décadas e que há alguns anos existia no local uma placa de identificação da Prefeitura de Manaus, que teria construído a benfeitoria no terreno cedido pelo candidato 10/10/2012 às 10:54
Show 1
Poço artesiano funcionava a duas décadas na comunidade
Bruna Souza Manaus, AM

O servidor público municipal e candidato a vereador Williams Coelho da Silva, 44, mais conhecido como "Tatá", é acusado de mandar quebrar um poço artesiano, localizado no bairro Educandos, Zona Sul de Manaus.

Segundo os moradores que o denunciaram, o candidato ficou insatisfeito por não ter sido eleito e "tentou se vingar da população" mandando seus funcionários retirarem o poço, que fica dentro de um terreno de sua propriedade.

Moradores afirmam que utilizavam a água do poço há mais de duas décadas e que há alguns anos existia no local uma placa de identificação da Prefeitura de Manaus, que teria construído a benfeitoria "pública" no terreno cedido pelo candidato.

"Ele não pode fazer isso. Esse poço foi construído pela Prefeitura e comprovado pelo emblema na placa que foi retirada do local. Só porque não ganhou, ele quer punir a comunidade? E quem votou nele vai sofrer as consequências também?", questionou o autônomo Marcos Antônio, de 46 anos.

Insatisfeitos
Para o conferente David Júnior Silva, 32, o vereador não agiu corretamente com os moradores ao mandar retirar o poço logo depois das eleições. "Isso não se pode fazer. A água pertencia à comunidade, mas porque ele não se elegeu nas últimas duas eleições mandou retirar o poço", afirmou.

Uma senhora não identificada tentou retirar um dos denunciantes do local com um cabo da vassoura. Outros familiares do candidato, que estavam próximos da área onde funcionava o poço artesiano e onde também fica localizada a residência do mesmo, afirmaram que a construção pertence ao "Tatá" e o mesmo apenas mandou retirar o poço pois ele estava entupido e impróprio para o uso da população.

Gasto elevado

O assessor pessoal do candidato, identificado apenas como ‘Wellison’, foi até a equipe de reportagem do acritica.com e garantiu que o servidor público tem muitos gastos com a manutenção do lugar.

Ele negou também que a retirada do poço seja retaliação aos moradores pela derrota na disputa por vaga na Câmara Municipal, afirmando que ‘Tatá’ vai refazer o poço e entregar o serviço à comunidade, mesmo não ganhando as eleições.

De acordo com a assessoria de imprensa da Manaus Ambiental, o poço artesiano citado na matéria é particular e, portanto, não está sob a responsabilidade da concessionária.