Publicidade
Manaus
Manaus

Candidatos à Prefeitura de Manaus injetaram R$ 29 milhões em campanha eleitoral

O maior investimento partiu da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), segunda colocada no segundo turno: R$ 13,5 milhões, aproximadamente 27/11/2012 às 21:26
Show 1
Os nove candidatos que concorrem à prefeitura de Manaus
Ana Carolina Barbosa ---

Os nove candidatos à Prefeitura de Manaus gastaram, juntos, durante a campanha que antecedeu o primeiro turno das eleições, este ano, mais de R$ 29 milhões, apontam dados Spce Web – Prestação de Contas Eleitorais, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O maior investimento partiu da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), segunda colocada no segundo turno: R$ 13,5 milhões, aproximadamente.

Seguindo a comunista aparece o prefeito eleito Artur Virgílio (PSDB), com quase R$ 12 milhões. Na sequência estão os deputados federais Pauderney Avelino (DEM), com R$ 1,7 milhões; Henrique Oliveira (PR), com R$ 732,1 mil; o ex-prefeito Serafim Corrêa (PSB), com R$ 710,8 mil; o deputado federal Sabino Castelo Branco (PTB), com R$ 420 mil; Jerônimo Maranhão (PMN), com R$ 98 mil; Luiz Navarro (PCB), com pouco mais de R$ 7 mil e Herbert Amazonas (PSTU), que aplicou cerca de R$ 2,5 mil na campanha.

No resumo dos extratos onde aparecem os doadores e fornecedores, estão as descrições dos valores aplicados em cada campanha pelas coligações. Na lista de Vanessa Grazziotin, por exemplo, o Comitê Financeiro Municipal Único e a Direção Nacional doaram, juntos, 37% do total (R$ 4.998.800).

Além disso, R$1,3 milhão está descrito como Auxílio Agenciamento de Recursos Humanos e Serviços e R$ 100 mil foram doados pela Caloi Norte. Um dos maiores doadores, a Friller Brasil, injetou R$ 750 na campanha da comunista e a J G Rodrigues, outros R$ 650 mil. A Moto Honda, que também aparece no extrato de outros dois candidatos, doou R$ 100 mil e a Serval Serviços, R$ 1 milhão. O empresário Waldery Areosa aplicou R$ 100 mil na campanha de Vanessa e os Supermercados DB, R$ 300 mil.

Já no extrato de Artur Virgílio, estão especificadas doações da Direção Nacional do Partido que totalizam R$7.176 milhões, o equivalente a 60,2% do que foi investido. O Comitê Financeiro Municipal injetou R$ 100 mil. Artur recebeu, ainda, doações da Companhia Metalúrgica Prada (R$ 150 mil), Distribuidora Comercial Rembraz (R$ 100 mil), Distribuidora Equador de Produção de Petróleo LTDA (R$ 120 mil), JP Gabriel Empreendimentos e Participações LTDA (R$ 570 mil) e Manaus Moto Center LTDA (R$ 170 mil).

O tucano também recebeu o apoio financeiro da Pelmex e da Pastore da Amazônia, com a doação de R$ 200 mil de cada uma.

Serafim Corrêa foi apoiado, quase que na totalidade, pelo Comitê financeiro Municipal do partido, mas foi um dos que recebeu R$ 100 mil de ajuda da Moto Honda. Pauderney Avelino recebeu a maior parte do recurso da Direção Nacional do Democratas e a mesma quantia da Moto Honda e Henrique Oliveira recebeu como colaboração R$ 400 mil da legenda, por meio da Direção Estadual. Já Sabino doou a si mesmo R$ 85,5 mil e recebeu R$ 133 mil da Cometais Indústria e Comércio de Metais LTDA.

Segundo turno

O Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) confirmou que o prefeito eleito Artur Virgílio (PSDB) e a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) entregaram, pouco antes das 19h desta terça-feira (27/11), suas prestações de contas relativas ao pleito deste ano. Eles se enfrentaram nas urnas no segundo turno pela Prefeitura de Manaus.

As 19h de hoje era o horário limite para a entrega do documento à Corte, segundo determina a Resolução 23.376/2012 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A Corte regional não divulgou detalhes das prestações de contas.

No restante do País, candidatos que concorreram no segundo turno das eleições e que deixaram de entregar a prestação de contas no prazo, poderão entregar com atraso.

Caso não o façam, eles ficarão impedidos de obter a certidão de quitação eleitoral e, em consequência, ficarão impedidos de obter o registro de candidatura para a próxima eleição.