Publicidade
Manaus
Manaus

Candidatos à Prefeitura de Manaus já arrecadaram mais de R$ 1 milhão, segundo o TSE

Arthur Virgílio e Vanessa Grazziotin foram os campeões em arrecadação, enquanto Herbert Amazonas, Jerônimo Maranhão e Serafim Corrêa não arrecadaram nada em dinheiro 10/08/2012 às 20:25
Show 1
Candidatos à Prefeitura de Manaus já arrecadaram mais de R$ 1 milhão, segundo o TSE
Ana Carolina Barbosa Manaus

Pouco mais de R$ 1.024 milhão foi o que seis dos nove candidatos à Prefeitura de Manaus arrecadaram (entre dinheiros e doações – bens e serviços) até agora para a campanha eleitoral deste ano, apontam dados da 1ª prestação de contas parcial, disponibilizados na noite desta segunda-feira (06/08), no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No topo da lista está o tucano Arthur Virgílio Neto (PSDB), cuja arrecadação se aproximou dos R$ 315 mil. Em segundo vem a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), com R$ 250 mil.

Herbert Amazonas (PSTU) e Jerônimo Maranhão (PMN) não arrecadaram nada. O comunista Luiz Navarro (PCB) foi o único dos nove candidatos a não aparecer na lista. Enquanto isso, os deputados federais Henrique Oliveira (PR), Pauderney Avelino (DEM) e Sabino Castelo Branco (PTB) – terceiro, quarto e quinto colocados – declararam terem arrecadado R$208,2 mil, R$200 mil e R$ 50 mil, respectivamente. O ex-prefeito Serafim Corrêa (PSB) foi o último colocado entre os que apresentaram alguma arrecadação: R$1.050 em doações de serviços e bens (valor estimável). Em dinheiro, o socialista também não arrecadou nada, de acordo com o balanço.

Os que mais arrecadaram

Arthur Virgílio e Vanessa Grazziotin arrecadaram, juntos, 55,2% do total dos oito candidatos à prefeitura. No caso de Arthur, R$ 150,9 mil são fruto de doações de bens e serviços que não são pagos, mas a legislação eleitoral exige que o custo seja estimado. O restante, R$ 155 mil, são insuficientes, por enquanto, para pagar as despesas contratadas do tucano, que já somam R$ 202,4 mil. Desses, R$ 86,1 constam em despesas efetivamente pagas, ou seja, serviços já quitados. Os maiores gastos do ex-senador foram com criação e inclusão de páginas na internet (R$ 50 mil) e serviços prestados por terceiros (R$ 24 mil).

Vanessa Grazziotin, a exemplo de Pauderney Avelino e Sabino Castelo Branco, não apresentou receita estimável em dinheiro (doações de bens e serviços). Contudo, dos R$ 250 mil arrecadados pela senadora, R$ 192,8, ou 77,1%, já estão comprometidos com serviços contratados. Os dois maiores gastos da comunista, segundo a prestação de contas, foram com locação de bens e imóveis (R$155 mil) e reembolso de gastos realizados por eleitores (R$30 mil).

Diferente de Vanessa, Henrique Oliveira decidiu poupar recursos. Constam em sua prestação de contas apenas baixas de recursos estimáveis, os quais somam R$ 8,2 mil, mas que na realidade, são apenas estimativas de serviços prestados como forma de doação. O republicano não utilizou os R$ 208 mil arrecadados em dinheiro. O mesmo fez Pauderney Avelino - que não utilizou os R$ 200 mil arrecadados, conforme o demonstrativo de receitas –, e Sabino Castelo Branco, cujos R$ 50 mil arrecadados continuam intactos.

Já Serafim Corrêa comprometeu até mais do que poderia, se considerados os números atuais. Declarou R$ 2 mil em despesas contratadas, mas não arrecadou nada em dinheiro, apenas doações que somam R$1.050.

Contas parciais

O prazo para que os candidatos, comitês financeiros e partidos políticos entregassem a primeira prestação de contas parcial ao TER-AM encerrou no último dia 2. Segundo informações do tribunal, até às 15h30 de hoje, apenas 82,4% das 7371 entregas previstas foram efetivadas, ou, pouco mais de seis mil.

De acordo com o TRE, o acesso aos valores dos que não entregaram a documentação será feito a partir de dados bancários, e a divulgação, via internet.

Durante o período que antecede o pleito haverá ainda mais uma prestação de contas parcial, que deve ocorrer entre os dias 28 de agosto e 1º de setembro. Depois dela, restará apenas a prestação de contas final, que ocorre 30 dias após o pleito, programado para 4 de outubro. O julgamento das contas ocorre antes da diplomação.