Publicidade
Manaus
Manaus

Candidatos 'excedentes' do concurso da Polícia Civil querem audiência com governador

Um grupo de candidatos aprovados na primeira fase do concurso público foi até a sede do Governo na manhã desta sexta-feira requerer uma audiência com Omar Aziz para discutir a situação deles em meio às denúncias de fraude no certame 11/05/2012 às 11:48
Show 1
Candidatos solicitaram audiência com o governador Omar Aziz
Monica Prestes ---

Um grupo de candidatos aprovados na primeira fase do concurso público da Polícia Civil de 2009 - conhecidos como os candidatos 'excedentes' - foi até a sede do Governo do Estado, na avenida Brasil, bairro Compensa, Zona Oeste, na manhã desta sexta-feira, para requerer uma audência com o governador Omar Aziz.

No documento, assinado pelo membro da comissão William Bruno Hitotuzi, os candidatos propõem a formação de uma segunda turma para o curso de formação de delegados da Polícia Civil, uma vez que o primeiro curso já foi encerrado há cerca de um ano.

Os 122 candidatos excedentes foram aprovados, mas como não foram chamados para o primeiro curso de formação, ficaram de fora da lista de nomeados, onde constava o nome dos integrantes do 'Quinteto Fantástico', que mesmo não tendo nota suficiente para passar à segunda fase do concurso, participaram do curso de formação e foram nomeados delegados de polícia em abril de 2011.

Os candidatos argumentam que a falta de delegados no interior do Amazonas ainda prejudica o trabalho em 32 municípios, onde todos os procedimentos policiais são realizados por policiais militares, investigadores e escrivãos.

"Como se sabe, o flagrante e inquérito policial realizado por quem não tem competência é nulo, maculando desta forma todo o processo que pode vir a ser instaurado em face dos inquéritos policiais, e trazendo prejuízos irremediáveis para a população amazonense", alega Hitotuzi, no documento, que foi protocolado ontem.

O grupo não foi recebido pelo governador, mas se mostrou otimista com relação à realização da audiência, visto que o número de candidatos excedentes dispostos a realizar o curso de formação e assumir o cargo de delegado já foi reduzido. De acordo com eles, 33 pessoas, entre os 122 candidatos excedentes, já desistiram do concurso, o que reduziria os custos do Estado.