Publicidade
Manaus
Manaus

Candidatos se atacam em quarto debate entre prefeituráveis em Manaus

Seis prefeituráveis participaram do encontro: Arthur Virgílio (PSDB), Vanessa Grazziotin (PCdoB), Pauderney Avelino (DEM), Serafim Corrêa (PSB), Sabino Castelo Branco (PTB) e Henrique Oliveira (PR) 17/09/2012 às 23:39
Show 1
Candidatos à Prefeitura de Manaus
Ana Carolina Barbosa Manaus

A repetição de propostas – a exemplo da continuidade de programas já existentes -, alfinetadas entre os candidatos e ataques a gestores anteriores e ao atual, Amazonino Mendes (PDT),  foram os pontos fortes do quarto debate entre postulantes ao cargo de prefeito de Manaus, promovido na noite desta segunda-feira (17/09), por uma emissora de TV local, a 21 dias do primeiro turno das eleições municipais. Seis prefeituráveis participaram do encontro: Arthur Virgílio (PSDB), Vanessa Grazziotin (PCdoB), Pauderney Avelino (DEM), Serafim Corrêa (PSB), Sabino Castelo Branco (PTB) e Henrique Oliveira (PR).

O evento, com duas horas de duração, teve direito até a insinuação do prefeiturável Sabino Castelo Branco de que a parceria exaltada pela senadora Vanessa Grazziotin com os governos estadual e federal é uma forma de chantagear o eleitorado, o qual “não tem mais direito de escolher em quem votar”.

Para Sabino, o apoio da presidente Dilma Rousseff (PT) à candidata Vanessa não descredencia os demais candidatos a conseguirem parcerias com o governo federal, caso eleitos.

Arthur Virgílio (PSDB), por sua vez,  acrescentou que nenhum prefeito de oposição se queixa de não receber apoio do governo federal nas demais cidades brasileiras e classificou como tolice a teoria dentro do regime democrático adotado no País.

Para justificar a parceria que pretende consolidar com o governador Omar Aziz (PSD), Dilma e o senador Eduardo Braga (PMDB), caso eleita, Vanessa disse que problemas, como a paralisação da obra do Mercado Adolpho Lisboa, no Centro, e a precariedade no abastecimento de água são fruto de um desencontro político e destacou projetos como a implantação de GPS nos ônibus da cidade e a retomada do sistema de forma a ser gerido pela prefeitura, tirando-o das mãos dos empresários.

 

Ataques

Em aparte do tempo os candidatos dedicaram suas falas a ataques a Serafim Corrêa (PSB). Da parte de Sabino, o prefeituravel afirmou que a merenda escolar era de má qualidade durante a gestão de Serafim e que o adversário deixou a obra do Mercado Municipal Adolpho Lisboa inacabada.


O candidato do PSB, para se defender, disse que Sabino é cria de Amazonino e ajudou a elegê-lo em 2008. “Você sempre foi uma pessoa ligada ao Amazonino [...] Esse é um problema que você tem que explicar. Eu sou oposição a ele”.

 O deputado federal Henrique Oliveira (PR) afirmou que o projeto de Serafim de dar um computador para cada estudante da rede pública deixa o aluno mais vulnerável a criminosos. Serafim, por sua vez, rebateu dizendo que colocará vigias nas escolas. Ele também tentou associar o atual prefeito, Amazonino Mendes, a Vanessa, lembrando que o ex-secretário do Trabalho do atual chefe do executivo é candidato a vice na chapa de Vanessa. A comunista afirmou que Vital foi escolha da presidente Dilma, do mesmo partido que ele.

Já Henrique Oliveira (PR) aproveitou a oportunidade para criticar a omissão do poder público e ex-gestores com as invasões que se consolidaram na cidade e os atuais parlamentares da Câmara Municipal de Manaus (CMM) que deixaram de votar o Plano Diretor, o qual visa ordenar a cidade, nesta legislatura.

Sobre os problemas de abastecimento de água enfrentados por moradores das zonas Norte e Leste de Manaus, os candidatos conflitaram nas propostas. Para Arthur, a solução é a anulação do contrato com a concessionária e para Serafim, a cobrança do cumprimento do contrato garantiria melhorias.

O deputado federal Pauderney Avelino (DEM) disse que vai intervir para a redução de taxas e afirmou que, ao contrário do que diz Serafim Corrêa, durante a gestão do ex-prefeito, houve redução do número de famílias com água nas torneiras em dez mil. Já Serafim afirma que 75 mil famílias passaram a ter abastecimento regular durante seu mandato.

Temas como a regularização da profissão de mototáxi, saneamento, transporte coletivo e educação também foram abordados.

Ao final do debate, o episódio da agressão que Vanessa Grazziotin diz ter sofrido pouco antes de participar do debate anterior ao de hoje, foi lembrado por Serafim, o qual afirmou que as discussões em torno do fato fez com que as propostas dos candidatos citados – no caso ela e Arthur – de lado.