Publicidade
Manaus
Manaus

Casamento coletivo em Manaus une 92 casais em cerimônia

A regularização do casal com a união civil traz inúmeros benefícios para a família, enfatiza a secretária de Estado de Assistência Social, Regina Fernandes. Um exemplo é a partilha dos bens, que tem seus critérios mais bem definidos a partir da união civil 16/12/2012 às 17:36
Show 1
Esse foi o segundo casamento coletivo realizado pela Seas este ano
acritica.com* Manaus, AM

Após três décadas de união, o aposentado José Alves Cortes, 80, e a dona de casa Otávia Borges, 58, oficializaram o casamento perante a justiça brasileira. O casal amazonense foi um dos 92 casais que selaram a união civil e religiosa em uma cerimônia de casamento coletivo realizada na noite de sábado (15), em Manaus. O evento foi promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Assistência Social e Cidadania (Seas).

Casal mais velho do grupo a celebrar união, seu Cortês e dona Otávia já viveram todos os altos e baixos da vida em comum, mas nunca tinham conversado sobre casar no papel, apesar de ser um sonho dela. Agora a cerimônia é uma espécie de renovação dos votos, disse a dona de casa. “A melhor parte do casamento é agora. A gente conviveu muito, muita batalha, muito sofrimento. Há seis anos ele caiu doente e está em cadeira de rodas. Mas somos a companhia um do outro. É uma história de muitos anos de muito amor. E enfim, vamos realizar esse sonho. Eu, principalmente, que nunca fui casada no papel”, comentou.

A regularização do casal com a união civil traz inúmeros benefícios para a família, enfatiza a secretária de Estado de Assistência Social, Regina Fernandes. Um exemplo é a partilha dos bens, que tem seus critérios mais bem definidos a partir da união civil. “É evidente que a situação estando regularizada, facilita a documentação e regularização da vida familiar do casal, trazendo muitos benefícios para os filhos”, disse.

Esse foi o segundo casamento coletivo realizado pela Seas este ano. No primeiro, 65 casais idosos formalizaram o matrimônio. A festa e os custos judiciais para o casamento civil são pagos pelo Governo, o que atrai muitas famílias que não têm condições financeiras. O casamento coletivo é realizado a partir de solicitações feitas nos Centros de Convivência da Família, mantidos pela Seas. Antes de selar o compromisso, os casais assistem palestras e recebem orientações sobre planejamento familiar.

“Não é um casamento só para regularizar a vida como casal, mas um programa amplo de valorização da família. Essas pessoas têm palestras com psicólogos, assistentes sociais, para que os vínculos familiares sejam fortalecidos. O sentido é mostrar a importância do casamento como exemplo e base para uma sociedade saudável e menos violenta”, disse Fernandes.

*Com informações da assessoria