Publicidade
Manaus
Polícia, Estupro de Vulnerável, DEPCA, 20ª Cicom, 21ª Cicom

Caseiro e cozinheiro são presos por estupros de crianças em Manaus

Os casos, apesar de terem sido registrados em bairros distintos de Manaus, ocorreram nesta quinta-feira (15). Os agressores após serem denunciados foram autuados em flagrante pela DEPCA 16/11/2012 às 16:45
Show 1
Roberto (com a camisa do Flamengo) e Gleibisson (de camisa listrada azul) tentam esconder os rostos para não serem fotografados
Kelly Melo e Síntia Maciel Manaus

O caseiro Roberto Coelho de Albuquerque, 40, e o cozinheiro Gleibisson Bezerra, 34, foram encaminhados nesta sexta-feira (16), para a cadeia pública desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro de Manaus, pela prática de estupros contra três crianças de 5, 6 e 11 anos de idade.

Os casos, apesar de terem sido registrados em bairros distintos de Manaus, ocorreram nesta quinta-feira (15). Os mesmos foram denunciados à Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA), localizada no Conjunto Vista Bela, bairro Planalto, na Zona Oeste de Manaus.

"Eu estava em casa e senti falta deles porque não estava ouvindo o barulho deles. Aí eu me preocupei e comecei a procurá-los, mas todo mundo dizia que não tinha visto os dois. Foi quando um dos meus filhos mais velhos deu a ideia de irmos procurar em outros quintais", contou a dona de casa de 41 anos, mãe do menino de 5 anos e da menina de 11, vítimas de Roberto. Os dois irmãos sofrem de problemas neurológicos e estão tomando medicamentos controlados.

Conforme os relatos da mãe das vítimas, os filhos estavam no quintal da sua casa, no bairro Tarumã, na Zona Oeste da cidade, catando manga e foram se afastando do lugar, até entrarem no terreno de um imóvel, onde Roberto tomava de conta. 

Durante a procura pelos filhos, a dona de casa se aproximou do terreno, onde Roberto estava, e as duas crianças saíram correndo, apavoradas. "Ele disse que pegou os meus filhos para dar comida para eles, mas era mentira porque eles já tinham almoçado", declara. 

Em casa, a mãe foi surpreendida pelos relatos da filha – apesar da garota falar com dificuldade -, de que o caseiro havia tocado tanto na genitália dela, quanto no órgão genital do irmão.

O caso foi denunciado a policiais militares da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que foram até o local e prenderam Roberto, que em seguida foi encaminhado para a Depca, onde negou a violência sexual contra as crianças. Entretanto, as vítimas foram submetidas a exames de conjunção carnal anal, no Instituto Médico Legal (IML), cujos laudos confirmaram que as crianças haviam sido violentadas. 

Conforme informações do delegado plantonista da Depca, Rafael Allemand, o caseiro já responde a um outro processo por atentado violento ao pudor.

Sexo e Vídeo Game

No beco Umberto Campos, no bairro São Jorge, Zona Oeste, um menino de 6 anos foi atraído por Gleibisson até a sua casa, com a proposta de brincar de vídeo game. 

De acordo com o delegado Allemand, na residência do cozinheiro a criança foi informada que só brincaria caso fizesse sexo oral em Gleibisson. A criança chegou a pratica o ato, mas ao voltara para casa, contou o ocorrido para a mãe, além de revelar que esta era a terceira vez que acontecia.

Preso por policiais da 21ª Cicom, após a mãe da vítima acionar a polícia, Gleibisson foi encaminhado à Depca, onde assumiu o crime, mas salientou que dessa vez, o ato não havia sido consumado porque a mulher e os filhos haviam chegado.

Assim como o caseiro Roberto, o cozinheiro, segundo o delegado Rafael Allemand também foi autuado em flagrante.