Publicidade
Manaus
Cotidiano, Reintegração de Posse, Quarto de Milha, TJAM

Cavalo vira objeto de disputa judicial no Amazonas

Reintegração de animal da raça Quarto de Milha deveria ter ocorrido nesta quarta-feira, mas fiel depositário se recusou a entregá-lo  19/07/2012 às 13:20
Show 1
Quarto de Milha é uma das raças com poucos exemplares em Manaus
acritica.com Manaus

Um cumprimento de reintegração de posse inusitado deverá ocorrer nesta quinta-feira (18), pela Justiça do Amazonas, em um haras do bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus.

Há um ano, o microempresário Carlos Alberto Lemos de Almeida, 48, o “Cacá”, tenta reaver na Justiça, um cavalo da raça Quarto de Milha, adquirido em maio do ano passado, para a revenda de um cliente.

Entretanto, a negociação do animal - comprado em Sorocaba (SP) a R$ 30 mil, e que seria revendido a R$ 55 mil -, acabou não sendo concretizada, após o futuro dono descobrir o contato do vendedor em São Paulo e negociar o cavalo à revelia de Cacá.

“Só descobri que o animal havia sido renegociado sem o meu conhecimento, após um amigo da pessoa que me vendeu o cavalo em São Paulo, me questionar sobre o pagamento do animal”, informa.

Para não ficar no prejuízo, Cacá entrou com uma ação na justiça, perdendo a causa na primeira instância. Na ocasião, conta ele, o cavalo foi entregue em cumprimento a um mandado de reintegração de posse, ocorrido no último mês de maio.

Ao recorrer da decisão, o microempresário, conseguiu uma nova reintegração de posse em seu favor, e que só não foi cumprida nesta quarta-feira, porque o fiel depositário do animal, identificado como Rodolfo Cabral teria se recusado a entregar o animal, ao oficial de Justiça.

“Isso é um absurdo!, pois até onde se sabe uma decisão judicial se cumpre, e não se discute. Faltou da parte dele respeito para com a Justiça”, informa Cacá.

Segundo ele, uma nova tentativa de reintegração de posse deverá ocorrer nesta quinta-feira (19), com o apoio da Polícia Militar, uma vez que a determinação judicial prevê o uso da força.

Ainda segundo Cacá, a recusa na entrega do animal seria pelo fato de não haver exemplares da raça Quarto de Milha em Manaus, e também o valor do mercado do referido animal - descendente de campeões -, estimado em R$ 70 mil.