Publicidade
Manaus
Manaus

Cerca de R$ 110 mil em espécie são apreendidos durante operação

Além do dinheiro, a Seai também apreendeu três motocicletas, sendo uma Yamaha no valor de R$ 70 mil, um Jeep Cherokee blindado, notebooks e tablets. 12/12/2012 às 19:24
Show 1
O dinheiro pertenceria a um homem condenado por tráfico de drogas.
acritica.com Manaus (AM)

Uma operação para cumprimento de cinco mandados de busca e apreensão, realizada pela Secretaria-Adjunta de Inteligência (Seai) e a Força-Tarefa da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), resultou na apreensão de R$ 110 mil em espécie, na manhã desta quarta-feira (12), no Conjunto Pindorama, no bairro Parque Dez, zona sul de Manaus.

Além do dinheiro, a Seai também apreendeu três motocicletas, sendo uma Yamaha no valor de R$ 70 mil, um Jeep Cherokee blindado, notebooks e tablets.

O secretário da Seai, Thomaz Augusto Dias, explica que o dinheiro e os bens apreendidos pertencem a pessoas ligadas ao grupo preso na operação realizada pela Seai, no último dia 30 de novembro, quando oito pessoas foram presas em flagrante e cerca de 78 quilos de pasta-base de cocaína foram apreendidos.

Ele ressalta que as motocicletas e o jepp blindado pertencem ao líder da quadrilha presa no último dia 30, Alan de Souza Castimario, 32 anos, vulgo Nanico, suspeito de vários homicídios, de comandar o tráfico de drogas em diversas zonas da cidade.

Já o dinheiro, de acordo com a declaração dada à polícia pela dona da casa onde o montante foi apreendido, pertence à Genildo Saraiva, vulgo “Candiru”, preso e condenado por tráfico de drogas.

A Seai informa que as investigações sobre a quadrilha iniciaram há mais de seis meses. A suspeita é de que os bens e dinheiro apreendidos sejam frutos do tráfico de drogas e outras atividades criminosas. O material ficará a disposição da Justiça.

Drogas

No último dia 30 de novembro, a Seai prendeu oito pessoas suspeitas de tráfico de rogas e armas, no conjunto Jardim Versalles, na zona Oeste de Manaus. Com a quadrilha foram apreendidos 78 quilos de pasta base de cocaína, 18 armas, 16 celulares, 3 coletes, jóias, dois veículos, R$ 7 mil e farta munição.

Os policiais civis e militares da Seai, com apoio do Grupo Fera, estavam investigando a quadrilha há cerca de seis meses, a partir de uma informação anônima para o Disque-Denúncia 181, conforme contou o secretário-adjunto de Inteligência, Thomaz Vasconcelos, durante a apresentação da quadrilha.

*Com informações de assessoria