Publicidade
Manaus
Manaus

Cerca de uma tonelada de pescado deve ser comercializada nesta Sexta-feira Santa em Manaus

Os consumidores são atraídos pela diversidade do pescado que é trazida em canoas e, também, vão parar nas bancas improvisadas de ambulantes 06/04/2012 às 16:32
Show 1
Pescado chega em canoas no porto de pescadores improvisado na escadaria Manaus Moderna
Thiago Gonçalves Manaus (AM)


Dezenas de pessoas foram à escadaria da Manaus Moderna, no Centro de Manaus, para comprar o peixe sagrado, na manhã desta sexta-feira (6), por ocasião da Semana Santa. De acordo com os fornecedores, cerca de uma tonelada de pescado deve ser vendida durante todo o dia de hoje.

Os consumidores são atraídos pela diversidade do pescado que é trazida em canoas e, que também, vai parar nas bancas improvisadas de ambulantes. Conforme os pescadores, a captura do peixe, nos rios da região, é feita em grande quantidade para abastecer as vendas.

A carga é variada para o consumidor escolher a vontade. Dos peixes vendidos à beira do rio Negro, os mais disputados são o Tambaqui, o Pacú e a Matrinxã. Este primeiro, o de menor tamanho, não sai por menos de R$ 15 reais. O jaraqui também faz parte do cardápio, são 20 unidades vendidas por R$ 10 reais.


O comerciante Nonato Silva, 40 anos, não perdeu tempo e levou um pescado maior para almoçar com a família. “Eu comprei logo um tambaqui grande, saiu por R$ 25 reais, mas tem menor também”, contou.

Segundo os pescadores, os peixes desta época estão com boa qualidade, já que a cheia dos rios facilita que os cardumes encontrem alimentos. “O peixe que a gente pega essa época não está tão magro, eles estão engordando já, pode se dizer que a época é de fartura”.

Em meio a carga há peixes filhotes, uma ameaça às espécies. (Fotos: Thiago Gonçalves)

Ainda de acordo com os fornecedores, cerca de uma tonelada de pescado deve ser vendida durante toda esta sexta-feira. “Teve gente que chegou aqui com escuro, às 5h, vamos vender aqui até acabar o peixe”, disse um pescador.

Na feira improvisada do Mercado Municipal Adolpho Lisboa, em processo de restauração há quase sete anos, o movimento era tímido por volta das 8h. Nos boxes, se mantiam expostos o Pirarucu (carne seca e fresca), o Tambaqui e a Matrinxã, pescado bastante apreciado no Amazonas. Conforme os próprios feirantes a maioria é oriunda de criadouros (viveiros).  


O movimento durante esta Sexta-feira Santa é grande nas feiras e mercados da cidade, tudo para garantir o consumo de peixe que é tradicional nesta época do ano.