Publicidade
Manaus
Cesta básica

Cesta Básica registra aumento recorde em 2012

De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em Manaus o mês de outubro foi o período onde o consumidor teve que desembolsar mais para adquirir os alimentos. Conforme analisado pelo Dieese, foi necessário o emprego de R$ 298,22 para a compra do conjunto alimentício 07/01/2013 às 11:00
Show 1
Abril foi o mês onde o trabalhador teve uma folga, pagando pela cesta R$ 210,69
acritica.com Manaus

O responsável pela alimentação de uma família em 2012 pode sentir no bolso os altos valores cobrados nos 12 itens que compõem a cesta básica. De acordo com pesquisa mensal do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) divulgada na manhã desta segunda-feira (7) desde o ano de 2008 as 17 capitais pesquisadas não apresentavam valores tão elevados.

Em Manaus o mês de outubro foi o período onde o consumidor teve que desembolsar mais para adquirir os alimentos. Conforme analisado pelo Dieese, foi necessário o emprego de R$ 298,22 para a compra do conjunto alimentício. Abril foi o mês onde o trabalhador teve uma folga, pagando pela cesta R$ 210,69.

A última pesquisa do ano encabeçada pelo Dieese revelou que em dezembro, os alimentos custaram R$ 290,27 (1,90%) em relação ao mês de novembro. No mês anterior o conjunto de itens alimentícios custou R$ 284,85. Se feita a comparação entre o mesmo período de 2011 o valor ficou R$ 35,38 mais elevado, já que, no período a cesta custou R$ 255,79.

Comportamento dos produtos

Na capital amazonense, a cesta básica custou, em dezembro, R$290,27. Em relação a novembro, houve uma alta de 1,90% nos preços dos produtos essenciais. Oito produtos aumentaram seus preços, três apresentaram redução e produto não teve seu preço alterado, influenciando o custo total da mesma que ficou 1,90% mais cara no mês.

A farinha (12,43%) foi o produto que apresentou maior alta no mês seguido da manteiga (10,16%), do arroz (4,63%), do feijão (2,90%), do tomate (2,78%), da banana (2,25%), do óleo (2,20%) e do leite (1,10%). O pão não apresentou variação em seus preços. O açúcar (-5,43%) foi o produto que apresentou a maior redução no mês seguido do café (-0,95%) e da carne (- 0,79%).