Publicidade
Manaus
Manaus

Chorando, Marcelaine Schumann é encaminhada à prisão nesta quinta-feira (8) em Manaus

A socialite estava internada com crise de ansiedade quando foi expedido o novo mandado de prisão. Antes de ser encaminhada ao Centro de Detenção Provisória, ela passou por exames no IML 08/10/2015 às 22:19
Show 1
A socialite saiu do IML chorando
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Marcelaine Santos Schumann está sendo encaminhada na tarde de hoje (8) para o Centro de Detenção Provisória Feminina (CDP).

Ela  estava no  Instituto Médico Legal (IML), na Cidade Nova, Zona Norte, onde realizou exame de corpo e delito. De lá, ela saiu acompanhada por uma  equipe da Polinter.

Após o término do exame, ela seguiu direto para o CDPF, no quilômetro 8, da BR 174. Marcelaine estava desde a noite de terça-feira (6) no hospital Check Up, no bairro Adrianópolis, internada por crise de ansiedade. Na saída do IML, ela saiu chorando e não disse nenhuma palavra.

Das outras vezes em que foi presa, Marcelaine expressava ironia e até sorria (Foto: Antônio Lima)

Na segunda-feira (5), a Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) analisou o habeas corpus (concedido de forma monocrática por um desembargador) que resultou em uma decisão liminar que garantiu liberdade condicional a Marcelaine. O habeas corpus suspendeu a decisão do juiz Anésio Pinheiro, que  determinou a prisão dela em julho deste ano. O juiz afirmou à época que ela deixou de comunicar seus deslocamentos à central de monitoramento. Durante a condicional, Marcelaiene é monitorada por tornozeleira eletrônica.

Os desembargadores, porém, na análise do recurso o negaram. Eles entenderam que houve violação da liberdade condicional e que a prisão provisória não caracteriza constragimento, como alegavam os advogados.

Entenda o caso

Marcelaine é ré em um processo que tramita na 3ª Vara do Tribunal do Júri acusada de ter contratado pistoleiros para assassinar ou deixar aleijada a sua rival, Denise Almeida da Silva, 36, em novembro de 2014. A vítima foi alvejada com vários tiros.

Segundo a Polícia Civil e o Ministério Público, Marcelaine teria contratado outras pessoas para executar o crime. Os outros envolvidos na tentativa de homicídio já respondem pelos crimes na Justiça.

Um dos outros acusados é Karen Arevalo, quem teria conseguido a arma para matar Denise. Além dela, o crime teve a participação de Rafael Leal dos Santos, o “Salsicha”, autor dos disparos; e Charles “Mac Donald’s” Castelo Branco, que fez a intermediação do crime.

Júri popular

Tanto Marcelaine quanto os outros envolvidos no crime serão julgados em Júri Popular. Diferente de um julgamento comum, neste caso é o Conselho de Sentença, formado por sete pessoas da sociedade, que decide em condenar ou absolver os réus. Saiba mais.

Na cadeia

Marcelaine estava em liberdade desde julho deste ano, mas ela já chegou a cumprir parte da sua pena presa no Centro de Detenção Provisória (CDP) Feminino, localizado no Km 8 da rodovia BR-174. Além dela, os outros acusados também se encontram em detenção na unidade penitenciária de Manaus.