Publicidade
Manaus
Cotidiano, Economia, construção civil, paralisação, Sintracomec, TRT/AM

Chuva frustra paralisação de operários da construção civil, em Manaus

Falta de adesão ao movimento também prejudicou a paralisação. Operários fariam uma caminhada até a sede do TRT/AM, na Zona Sul de Manaus 12/04/2012 às 14:04
Show 1
Operários da construção civil que atuam em uma das várias obras do conjunto Morada do Sol
Cimone Barros e Síntia Maciel Manaus

A chuva e a pouca adesão dos trabalhadores dos canteiros de obras em Manaus contribuíram para que a paralisação que seria realizada nesta quinta-feira (12), pela categoria, fosse adiada.

Orquestrada pela ex-diretoria do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de Manaus (Sintracomec), a paralisação entre outras coisas pretendia mobilizar 5 mil trabalhadores e realizar uma passeata até à sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT/AM), no bairro Praça 14 de Janeiro, Zona Sul de Manaus, em protesto à decisão do juiz do trabalho Adilson Maciel Dantas.

No início deste mês o magistrado destituiu a presidência do sindicato, que está sendo administrado por uma junta governamentiva.

“Essa destituição só serviu para atrapalhar as negociações trabalhistas, com o sindicato patronal e as empresas”, declara o ex-vice-presidente do Sintracomec, Cícero Custódio.

Em torno de 3 mil operários chegaram a cruzar os braços nas obras localizadas no conjunto Morada do Sol, no bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul de Manaus, considerada por Custódio uma área estratégica, em virtude do inúmeros empreendimentos imobiliários, situados naquela área.

Entretanto, por volta das 10h, os trabalhadores já estavamr retomando as suas atividades.