Publicidade
Manaus
Manaus

Chuva não atrapalha diversão no 'novo balneário' no Amazonas

Enquanto as águas não baixarem, a diversão está garantida na área alagada após a ponte Rio Negro. Mas é preciso cautela 11/06/2012 às 07:28
Show 1
Parte de terra e floresta inundada é hoje a grande atração de quem quer se refrescar e pescar. Mas diversão tem os dias contados
RENATA MAGNENTI Manaus

O final de semana chuvoso não impediu que dezenas de famílias fossem à “prainha” que se formou com a cheia do rio Negro entre Manaus e o Município de Iranduba, passando a ponte Rio Negro. O local tem servido como point para pescar e tomar banho. Entretanto,  não oferece segurança. Carros ficam estacionados no acostamento da pista e a população tem deixado o espaço cheio de lixo.

Na tarde deste domingo (10), mesmo debaixo de chuva, aproximadamente 40 pessoas estiveram no local para pescar e levar as crianças para se divertir tomando banho de rio.

O pintor José Brito estava no local pela primeira vez e gostou muito da tarde de lazer. Ele comemorava o fato de ainda ter conseguido pescar uma matrinxã. “Já tinha passado por aqui e visto o movimento de pessoas. O local já é um point”, disse.

Na avaliação do empresário Lula Souza, o local deveria ser “legalizado” como um balneário para que a população pudesse se divertir mais. “O único problema é a sujeira deixada pela população. Antes de começar a pescar eu recolhi todo o lixo que estava por aqui, mas se houver um trabalho de conscientização acho que iriam preservar o ambiente”, afirmou.

A reportagem encontrou no local restos de carvão, grelhas de fogão, plásticos, entre outros objetos. E, aliado a isso, havia uma dezena de ambulantes, alguns chegaram até a montar tendas, onde comercializavam bebidas, salgados e churrasquinho.

Os riscos não são apenas de agressão ao ambiente. Há pedras às margens do rio e, segundo banhistas, o rio ao redor da área chega a ter até 20 metros de profundidade. “Acabei de ver uma criança quase se afogando”, destacou Brito.

Pescaria
No período da noite, os banhistas costumam deixar o local e são os apreciadores da boa pesca que passar a utilizar a área.  São dezenas deles à espera de um peixe.

O gerente de RH Márcio Lopes experimentou a pescaria no local pela primeira vez ontem. “Comprei um vara semi profissional porque fiquei sabendo que já pescaram até um jaú aqui. Vai que eu tenho sorte.”

Ontem, havia homens do Corpo de Bombeiros no local. Eles disseram não ter poder para impedir que os banhistas ficassem no local, mas que permaneciam na área para evitar acidentes. E acrescentaram que nenhum afogamento ou algo parecido foi registrado no trecho nos últimos dias.

A área utilizada como balneário pertence ao Município de Iranduba. E quanto aos carros estacionados no acostamento, o tenente Maciel, da Companhia de Polícia de Trânsito (Ciatran), afirmou que é proibido tal ato. Segundo ele, os condutores estão sendo advertidos e uma média de dez autos de infração diários são aplicados aos que insistem em fazer do acostamento estacionamento.