Publicidade
Manaus
INOVAÇÃO

Colégio Militar de Manaus aposta no EAD e atende alunos em diferentes países

O sistema de EAD do Colégio Militar de Manaus atende um efetivo de mais de 500 estudantes locados no Brasil e no mundo. O projeto é voltado aos filhos e dependentes de militares das Forças Armadas 16/09/2017 às 20:37 - Atualizado em 18/09/2017 às 08:42
Show cmm 2
Major Pantoja fala com a estudante de EAD, Mayla Rezende, pelo celular. Ela atualmente mora na cidade de Bogotá, na Colômbia (Fotos: Márcio Silva)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

A rotina de estudos de Mayla Rezende, de 17 anos, é diferente da maioria dos brasileiros. Morando na cidade de Bogotá, na Colômbia, desde o mês de junho deste ano, a adolescente estuda por um ambiente virtual oferecido pelo Colégio Militar de Manaus (CMM).  O sistema de Curso Regular de Ensino à Distância (CREAD) atende um efetivo de mais de 500 estudantes distribuídos em 23 localidades do Brasil e 47 países. 

O EAD em um dos colégios mais tradicionais da cidade surgiu no ano de 2002, após o internato destinado a filhos de militares ser extinto na capital amazonense. Na época, a solução foi unir uma aprendizagem completa, dinâmica e eficiente que chegasse a alunos locados em diferentes endereços do Brasil e do mundo. 

Mayla estudou no CMM de forma presencial, mas quando o pai militar precisou ser transferido para o país vizinho, a aluna se readaptou a estudar na frente de um computador com disciplina. O desejo dela é ser aprovada no curso de Direito da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

“Estudei a distância pelo sistema quando tinha 12 anos e estava no sétimo ano do Ensino Fundamental. Agora que meus pais estão na Colômbia, precisei voltar à rotina de antes. Aqui em Bogotá acordo por volta das 6h e passo o dia todo na frente do computador estudando. Os meus pais sempre me acostumaram a ter a disciplina na questão dos meus estudos”, comentou.

O curso EAD é voltado aos filhos e dependentes de militares das Forças Armadas que estejam servindo em áreas do Comando Militar da Amazônia, do Comando Militar do Norte, do Comando Militar do Oeste e no Exterior.  Hoje o sistema é utilizado por estudantes que estão na China, Coreia do Sul, Bangladesh, Suécia, Bolívia, África do Sul, além de cidades do interior do Amazonas, como Tefé, São Gabriel da Cachoeira, entre outros.

“Os pais que são transferidos para o exterior têm a opção de colocar o filho na escola estrangeira para que aconteça a socialização, mas a minha família preferiu apenas me deixar estudando em casa pelo sistema virtual do CMM. Até porque estou no terceiro ano do Ensino Médio, meu foco total é passar no Enem”, afirma a estudante.

A brasileira também ressalta que o desafio de estudar pelo EAD é grande, mas com disciplina e foco tudo se resolve. “Em uma sala de aula física a gente tem o professor na nossa frente. No ambiente virtual, é necessário ter mais foco. O importante é construir um hábito de estudo”, destacou Mayla.

Inovação

O Ensino a Distância do CMM vem sendo reconhecido. No mês passado, o curso recebeu o Prêmio Destaque Nacional do Institute for Learning & amp – Performance Brasil. O concurso contempla projetos que contribuam para promover a alta performance, com lições aprendidas e melhores práticas que sirvam como exemplo para o mercado.

O coordenador pedagógico da seção do Ensino a Distância do CMM, Major Pantoja, explicou que as aulas virtuais funcionam da mesma forma que no ambiente presencial. São quatro bimestres para o Ensino Fundamental e Médio. Duas das avaliações são realizadas pela internet, enquanto uma de forma presencial. Os alunos tiram as dúvidas por meio de ligações, e-mail e mensagens no Whatsapp.

“O Colégio Militar de Manaus oferecia um internato para os filhos de militares que eram transferidos para outros locais. Os pais iriam trabalhar em Tabatinga e deixavam as crianças estudando aqui conosco, mas quando o internado foi extinto em 2002, resolvemos criar o EAD. O aluno tendo conectividade acessa o sistema, lá estão disponíveis os calendários e planos de aulas”, destacou.

Como em alguns locais do Brasil a conectividade da internet apresenta problemas, materiais didáticos em forma de apostilas são encaminhados para os alunos, além de CDs e cartões de memórias com o conteúdo.

“O principal exemplo é no município de São Gabriel da Cachoeira. Lá a internet não é muito boa, por isso mandamos um kit para melhorar ainda mais a aprendizagem. Outra dificuldade também é o fuso horário. Temos um aluno que está morando na Itália e outro na Coreia do Sul, quando mandam mensagens às vezes só vemos no outro dia”, disse.

Ao total, 38 profissionais, entre tutores e militares atuam de forma presencial na seção do Ensino a Distância do CMM, localizado no próprio colégio no Centro de Manaus.  O local é dividido por tutores que lecionam matérias do Ensino Fundamental e Ensino Médio.

“As matrículas e a interação entre alunos e pais são feitas pela internet. O ano letivo do EAD é como em outras escolas: inicio do ano letivo, provas, férias, mais provas, e o fim do ano. Duas provas são feitas de forma online, outra é realizada de forma presencial. Encaminhamos a avaliação impressa para um militar da região do Brasil que o aluno se encontro e o adulto aplica. Quando o aluno está no exterior, os próprios pais são os tutores. Eles imprimem as avaliações”, ressaltou.

Desafio

A tutora da língua inglesa do EAD do Colégio Militar de Manaus, a 2º tenente Priscila Catique, lembra que começou a participar do projeto no ano passado. Como professores de um ambiente educacional físico, ela precisou também aperfeiçoar a maneira de como tratar os alunos.

“Comecei no ano passado e quando cheguei aqui foi um choque. Não sabia que isso existia. Depois fui fazendo cursos e me aperfeiçoando, para saber como atender esses alunos no ambiente virtual. Preparamos o plano de aulas, provas e colocamos no sistema. Também ficamos em horário comercial aqui na seção do CMM para atender as dúvidas dos alunos”, disse.

Diferente de uma sala presencial, o contato entre aluno e professor no EAD é feito por meio de outras ferramentas tecnológicas, como Skype e e-mail. “Eles entram em contato com a gente quando possuem dúvidas sobre os conteúdos. Na minha disciplina é mais tranquilo, mas os meninos de matemática, química e física sofrem com as dúvidas”, comentou Catique, aos risos.

Segundo Priscila, o desafio para os tutores no ambiente virtual é tentar perceber de longe as dificuldades dos alunos. “Quando a prova é feita de forma presencial corrigimos as avaliações aqui mesmo e depois colocamos a nota no sistema. Eu fui professora de inglês em um cursinho, por isso afirmo que estou em local que antes não era acostumada. De forma presencial a gente ver as dificuldades do aluno, mas no ambiente virtual tentamos procurar a onde achar isso tudo”, acrescentou a 2º tenente Priscila Catique.

Projeto pioneiro

O sistema EAD tem dado tão certo que o objetivo do CMM é aumentar o número de estudantes atendidos de 500 para 800. O comandante e diretor de ensino do Colégio Militar de Manaus, coronel Mario Ancelmo Marszalek, destaca que a instituição de Manaus é o única que apresenta este ensino diferenciado.

“Esse projeto cresceu muito com o passar dos anos. Agora a nossa meta é chegar a 800 alunos, para que outros tenham acesso a um ensino de qualidade. É uma conquista receber durante 11 anos o prêmio do Institute for Learning & amp. Dos 13 colégios militares do Brasil, só o CMM tem esse serviço diferenciado”, completou.