Publicidade
Manaus
ABAIXO DO ESPERADO

Com apenas 20% das lojas funcionando, Shopping T4 é aberto ao público

Shopping com capacidade para 719 boxes foi aberto neste domingo (10) e começa a funcionar 528 dias após inauguração 10/12/2017 às 20:23
Show tt444
Foto: Márcio Silva
Danilo Alves Manaus (AM)

Com capacidade para 719 boxes, o shopping Phelippe Daou (Shopping T4), aberto ao público neste domingo (10) depois de 528 dias inaugurado, começou a funcionar com o número de camelôs abaixo do esperado. Apenas 20% das lojas abriram as portas.

O espaço foi projetado para ser um centro de compras popular, abrigando camelôs que deixaram as vias do Centro Histórico da cidade, e ainda oferecer serviços como supermercado, agência bancária, correio e Pronto Atendimento ao Cidadão (PAC).

Conforme o chefe do Grupo de Trabalho Galerias Populares, Rafael Assayag, em julho deste ano, a Prefeitura afirmou que os camelôs escolhidos para trabalhar no Shopping T4 só  queriam se instalar no local quando pelo menos 50% das lojas âncoras, mini âncoras e quiosques do espaço estivessem funcionando.

Para Assayag, os serviços públicos que serão oferecidos no local já são considerados importantes para chamar clientes.

“Temos aqui vários atendimentos de programas sociais como o Leite do Meu Filho, o Cadastro Único, da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh), além do Sine Manaus entre outros. Além disso, temos uma grande loja de roupas que também atrai o público. Muita gente já passou por aqui e tem até fila para alguns estabelecimentos”, disse.

Durante a inauguração, que iniciou ás 14h, os serviços começaram a funcionar normalmente. Houve programação musical e prática de atividade física na área externa do shopping.

A árvore de natal também foi inaugurada. Na parte de dentro, alguns corredores ainda estavam bloqueados por placas e muitos boxes fechados. Segundo a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom), em alguns boxes falta colocar os compensados de MDF que foram fornecidos pela Prefeitura.

Apostando na sorte

Desde os 20 anos, a comerciante Solange,59, trabalha como camelô. Passou as últimas duas décadas trabalhando no Centro de Manaus e agora é a única camelô de um dos corredores do shopping. Apesar de sozinha, Solange está com esperanças de que as vendas voltem a subir.

“Era meu sonho construir uma loja e viver do meu trabalho. Consegui e espero que dê certo. Estou apostando na sorte”, explicou. 

 Estacionamento pago

Quem visitou o local de carro não precisou pagar estacionamento, mas o sistema de pagamento do serviço deve começar a funcionar na próxima semana. O açougueiro Mário Pereira, 44, reclamou do preço e acredita que shoppings considerados populares, não devem cobrar estacionamento.

“Apesar de parecer que quem tem carro também possui condições para pagar estacionamento, é preciso ver que o projeto inicial da prefeitura está sendo desrespeitado. Se é um shopping para todos, o estacionamento também deveria ser”.

O motorista particular Paulo Reis, 19, é a favor do serviço pago.

“A questão não é o preço e sim a segurança. Querendo ou não estamos em uma área de grande movimentação e pode ser perigoso deixar o veículo em qualuqer lugar”, concluiu.

Inauguração

O empreendimento foi inaugurado no dia 30 de junho de 2016, pelo Prefeito de Manaus e então candidato a reeleição, Artur Virgílio Neto, no último dia em que ele podia fazer inaugurações de obras públicas, por conta da legislação eleitoral. Desde então, o shopping passou por 528 dias sem funcionar.