Publicidade
Manaus
DOAÇÕES

Casa de acolhimento LGBT+ em Manaus vai inaugurar sob dificuldades; veja como doar

Coletivo arrecadou R$ 11 mil para manter abrigo, mas custo mensal é de R$ 2,5 mil. Eles vão promover festa beneficente para arrecadar mais 04/12/2017 às 05:00
Show coletivo
Foto: Antonio Lima
Danilo Alves Manaus (AM)

Com o total de R$ 11 mil em doações arrecadadas no período de 11 meses, a Casa de Acolhimento LGBT+ inaugura dia 1º de janeiro de 2018 já com prazo de validade. É que, com o custo mensal de manutenção da casa de aproximadamente R$ 2,5 mil, segundo o coletivo Manifesta LGBT+, o local poderia abrigar os seis acolhidos do projeto apenas pelo período de quatro meses. As informações são do diretor do Manifesta LGBT+, Gabriel Mota.

Para tentar aumentar o número de doações, o grupo decidiu promover uma festa em prol da casa de acolhimento. Além do possível doador ficar por dentro de  informações sobre o serviço que será realizado na casa, o evento deve contar também com apresentação da cantora Lorena Simpson. “Metade da bilheteria e cachê da cantora serão revertidos como recursos para casa de acolhimento. Nossa meta, no início do ano, era de juntar R$ 100 mil no site de crowdfunding, mas vimos que é muito difícil chegar até esse valor, por isso nós trabalhamos com a pretensão de juntar R$ 75 mil, que serão suficientes para manter a casa por 1 ano”, comentou.

A iniciativa deve beneficiar pessoas como Patrícia*, de 16 anos, que fugiu de casa porque a família não aceitava a decisão de mudar de gênero. Antes, ela se chamava Ricardo*, mas não se reconhecia. Hoje um transgênero, ele vive de favor na casa de um amigo, enquanto espera a inauguração da casa de acolhimento. “O preconceito ainda impede as pessoas de fazerem atos de bondade. Antes de julgar, é preciso o mais importante: informação”.

Atividades

O grupo participou, na última sexta-feira, do ato simbólico do Dia Nundial de Luta Contra a Aids. Gabriel disse que, além do abrigo, o grupo realiza outras atividades que ajudam a pessoa LGBT+. “A Casa de Acolhimento se tornou prioridade para o Manifesta, mas também realizamos encontros e capacitações para todos os indivíduos que passaram por sofrimentos só pelo fato de serem gays, lésbicas ou trans”, explicou.

Além do dinheiro, o coletivo também aceita doações de roupas e outros objetos para a casa de acolhimento. O Centro Estadual de Referência em Direitos Humanos Adamor Guedes, (localizado no Centro, rua Major Gabriel 1192) é ponto de recolhida de doações.

Apoio

O Manifesta LGBT+ é um coletivo que luta pelos direitos da população LGBT+ com ações promovidas em diversos âmbitos e oferecendo suporte às pessoas em geral. Além de acolher a população LGBT em situação de risco, a ideia do grupo é que, na casa de acolhimento, os pacientes sejam ressocializados, capacitados para o mercado de trabalho e ainda recebam assistência social, jurídica e psicológica, por meio de parcerias.

“Elas vão ficar na casa por um período de três a seis semanas. Enquanto isso, nós realizamos outras atividades para a reinserção dessas pessoas”, disse Gabriel Mota, diretor do Manifesta LGBT+.

Rodas de conversa, cursos de capacitação, consultas no psicólogo e até mesmo assistência jurídica com um advogado especializado em crimes contra essa população são ofertados.

Serviço

O que: Festa “Apoio para Casa de Acolhimento LGBT+”
Onde: Cabaret Night Club, na rua Barroso, 293, Centro de Manaus
Quando: 22 de dezembro
Valor: a partir de R$ 30
Informação: metade do valor do ingresso será revertido para doação