Publicidade
Manaus
Manaus

Comunidade cobra o voto ético em Manaus

Fórum Comunitário de Políticas Públicas, do bairro Nova Floresta, dá início a uma campanha contra a corrupção eleitoral  23/07/2012 às 08:09
Show 1
Presidente do comitê do “Voto Ético”, Camilo Assunção, anunciou cronograma de palestras e distribuição de cartilhas nas escolas e locais públicos do bairro
AUGUSTO COSTA Manaus

Com sede no bairro Nova Floresta, na Zona Leste de Manaus, o Fórum Comunitário de Políticas Públicas lançou no último sábado o comitê do “Voto Ético”. A Zona Leste é o maior reduto eleitoral da cidade. Suas duas zonas eleitorais concentram 21,1% do eleitorado da capital, o que representa 249.127 pessoas aptas a votar, segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM).

Segundo o coordenador do Comitê do Voto Ético, Camilo Gomes de Assunção, o objetivo do movimento popular, que vai atuar em parceria com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e as Promotorias Eleitorais, é orientar as comunidades sobre a prática do crime da compra de votos, propaganda irregular no período eleitoral, além de conscientizar o eleitor para refletir, antes de escolher um representante, sobre as consequências de uma opção mal feita.

“Uma má escolha nas urnas, vai refletir no futuro político, social e econômico do nosso município nos próximos quatro anos. Por isso vamos realizar palestras nas escolas, nas igrejas e na comunidade, para conscientizar as pessoas da importância do voto ético. O voto tem que ser consciente, sem manipulação é uma escolha criteriosa dos nossos governantes”, afirmou Camilo Assunção.

Critérios

Para o líder comunitário é necessário que o eleitor tenha o cuidado de avaliar, antes de decidir para quem vai votar, os antecedentes de cada candidato. Porque ele se candidatou? Quais os seus projetos apresentados para beneficiar a comunidade?  e até a sua conduta familiar deve ser levado em consideração no momento da escolha.

“O objetivo não é somente denunciar a compra de votos que alerto, desde já, que é crime para o candidato e para o eleitor que vende o seu voto, ou propaganda eleitoral irregular, mas também vamos atuar na orientação da comunidade com a distribuição de cartilhas sobre a legislação eleitoral. A partir da segunda-feira os membros do comitê vão se reunir para traçar as diretrizes sobre as palestras nas escolas, distribuição de material e as reuniões com a comunidade”, disse o ativista social.

De acordo com Camilo Assunção, o trabalho de implantar comitês do “Voto Ético” já vem sendo realizado por ele nas últimas quatro eleições. Mas infelizmente muitos comitês não continuaram a desenvolver as suas atividades. “Já fundei comitês nas últimas quatro eleições nos bairros do Jorge Teixeira e Tancredo Neves. Temos que ter espírito de cidadania, ética em busca da plena democracia e o voto consciente e os lideres comunitários têm que perceber a importância de montar os comitês e apresentar propostas aos governantes municipais sobre as necessidades de cada bairro para melhorar as nossas comunidades”, disse.

OAB e Igreja apoiam iniciativa

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM), Fábio Mendonça, afirmou que a criação do comitê do “Voto Ético” é uma atitude positiva da sociedade. O dirigente disse que existe uma campanha que será desenvolvida em parceria com o Tribunal Superior Eleitoral (STE), Tribunal Regionais Eleitorais e  OAB de todo o Brasil que terá como finalidade a conscientização do voto ético e o combate a compra de votos.

“Avalio como uma decisão da sociedade positiva e um mecanismo importante para acabar com a compra de votos. A sociedade tem a oportunidade de avaliar os candidatos da ficha limpa e fazer a melhor escolha na hora de votar”, defendeu Fábio Mendonça.

O pastor da Primeira Igreja Presbiteriana de Manaus, Sérgio Horta, comparou o voto consciente com o caráter de Cristo. “O voto ético está associado ao sermão da montanha quando Jesus falou: Bem aventurado os que têm sede de justiça. Este tipo de voto é semelhante ao caráter de Jesus, pois a ética expressa o caráter de Deus. É isso tem levado muitos cristãos a refletir na sua posição na sociedade política”, disse.