Publicidade
Manaus
APESAR DA CRISE

Concessionárias registraram crescimentos de até 30% na venda de carros em 2017

Resultado das vendas de carros novos por financiamento em 2017 surpreende concessionárias de Manaus. Setor se prepara para incremento de pelo menos 20% neste ano 20/01/2018 às 08:07
Show carro
Foto: Evandro Seixas
Rebeca Mota Manaus (AM)

Concessionárias de Manaus comemoram as vendas de carros novos em 2017, que cresceram até 30% em relação ao ano anterior. Com o resultado, as lojas esperam um incremento de pelo menos 20% neste ano.

A Murano Veículos, representante da Fiat em Manaus, foi uma das que atingiram o crescimento de 30% nas vendas de 2017. O diretor da Divisão de Veículos do Grupo Simões, Marcus Vinicius Pereira, afirma que as vendas foram puxadas pelos modelos Argo, Toro, e Mobi. 

“Este crescimento se deve à reformulação que a Fiat teve. Além disso, o preço real dos carros, apesar de toda a tecnologia embargada, cai todos os anos, deixando um valor mais viável e justo ao consumidor. Outro detalhe é que o financiamento está mais adequado aos clientes, pois tivemos mais créditos disponíveis para o consumidor e com isso os juros caem”, destaca.

A Hyundai Manaus também registrou um crescimento nas vendas de 30%. E por conta disso, aumentou em 20% o quadro de funcionários. O modelo que mais saiu na concessionária foi o HB20. 

“Acredito que as vendas foram boas graças às facilidades principalmente no financiamento, os bancos facilitaram. Aqui na concessionária temos taxa de 0%”, explica o gerente de vendas Alyson Azevedo.

A Honda automóveis cresceu 25% em 2017 e os modelos que mais saíram foram o HR-V e o Honda Fit. A expectativa da loja é avançar 15% neste ano.

O gerente geral da Solimões Veículos, representante da Volkswagen em Manaus, Paulo Cunha, conta que houve um crescimento pequeno, mas bastante significativo.

“Nós crescemos em 2017 e graças ao novo Polo que deu um fôlego nas vendas. Foi um grande avanço diante da vendas lentas que nós passamos em outros anos, nós caímos muito desde 2010, em aproximadamente 50%. Queremos voltar a vender em média 70 carros por mês. Anos passado foi em torno de 35”, explica Cunha. 

A Garcia Veículos, representante da Chevrolet, teve 25% de aumento nas vendas em 2017, puxado pelo carro mais vendido no Brasil, o Ônix. “Os nossos modelos são líderes no mercado, isso porque apostamos fortemente em tecnologia, desde um carro simples até o Premium. E nós já começamos muito bem em janeiro e esperamos crescer 30%”, conta a diretora geral Silvana Semen. 

Uma importadora de veículos que teve muito sucesso em 2017 foi a Martins Import Kia. Ano passado ela vendeu 152 veículos, enquanto que em 2016, foram 103. São carros que custam a partir de R$ 80 mil. “Nossas vendas do ano passado foram muito positivas com um crescimento de 47% e esperamos crescer de 50 a 100% em 2018”, revela o supervisor de marketing Erick Courtier. 

Cenário nacional

Em todo o País, as vendas financiadas de veículos novos aumentaram 3,5% em 2017. Foram 1,8 milhão de unidades financiadas no ano passado. O resultado é um sinal de otimismo para as concessionárias, após sete anos de queda do setor. Os dados são do levantamento feito pela B3, que considera automóveis comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas. 

O crescimento das vendas financiadas incluindo novos e usados subiu 9,7% com 5,1 milhões de unidades vendidas. Já a saída de usados aumentou 3,3 milhões, uma alta de 13,4% sobre o ano anterior. 

De acordo com a Federação Nacional da Distribuição de Veículos (Fenabrave), o nível de aprovação de pedidos de financiamentos, que durante o período de retração do setor era de três a cada 10, subiu para quatro a cada 10 no segundo semestre do ano passado.  Em 2012, quando as vendas bateram recorde, chegou a ser de sete a cada 10.

Vendas superaram as expectativas

As vendas de veículos novos  como um todo, que  inclui as formas de pagamento à vistas e financiadas subiram 9% no Brasil em 2017. O desempenho do mercado foi melhor do que a expectativa da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) de crescimento de 7,3%. 

Foram emplacados 2,2 milhões de automóveis, comerciais leves como picapes e furgões, além de caminhões e ônibus. A alta é em comparação com 2016, que agora pode ser considerado um alívio da crise no setor, com 2,05 milhões de unidades vendidas - o volume mais baixo desde 2006, que teve 1,9 milhão. 

Entre as montadoras, a Chevrolet permanece na frente, com 393 mil unidades emplacadas até o dia 29 de dezembro. A Fiat mantém a segunda posição (297,7 mil), mas é ameaçada pela Volkswagen (286,8 mil), que cresceu cerca de 26% em vendas na comparação entre os anos de 2016 e 2017.

Já no setor de veículos usados, a recuperação começou bem antes. As vendas dos seminovos subiram 6,5% em 2017. Se a gente olhar só para os carros usados a alta foi de 7,5%.

Amazonenses que compraram carro em 2017

“Comprei  o carro como uma espécie de investimento. Eu fiquei  desempregado, então resolvi entrar no Uber para ganhar uma renda extra até que eu retorne a atuar no mercado de trabalho dentro da minha área. Além disso, tenho uma demanda muito grande de locomoção  para ir aos cursos, igreja e sair com a família. E  o transporte público é caro e precário, sem contar com a falta de segurança. Daí fiz várias pesquisas, simulações e comprei o carro”, compartilha Thiago Braga.

Já o motorista Angelo Cabral conta que achou os preços mais acessíveis ano passado. “Em 2017 deu uma melhorada na facilidade para comprar carro. Em outros anos sempre foi uma burocracia, fora que a crise econômica que passamos estava nos impedindo de comprar”, conta.

Messias Silva explica que está tentando comprar um carro desde 2015. “Eu queria um carro, confortável, econômico, bonito e barato, mas não encontrava. Já no final do ano, eu comprei um Fiat Argo, me encantei pelo o automóvel”, diz Messias.