Publicidade
Manaus
ECLIPSE

Conheça os métodos seguros e baratos para contemplar o eclipse solar em Manaus

Um dos mais indicados é o vidro de soldador número 14, que pode ser comprado em lojas de material de construção a preço de R$ 1,40 até R$ 3 21/08/2017 às 13:07 - Atualizado em 21/08/2017 às 14:09
Show 33
Foto: Reprodução/internet
Vinicius Leal Manaus (AM)

Um dos fenômenos astronômicos mais aguardados dos últimos tempos, e que promete entrar para a história, o eclipse solar poderá ser observado de Manaus com 21.1% de visibilidade por quase duas horas. Entretanto, para contemplar o acontecimento é necessário tomar alguns cuidados. Conheça abaixo métodos seguros e baratos para ver o eclipse solar da capital amazonense.

Métodos diretos

Um dos métodos diretos de observação do eclipse solar é através de um vidro de soldador número 14, que pode ser comprado em qualquer loja de material de construção ou em casas especializadas em solda, a preço de R$ 1,40 até R$ 3. Um óculos de soldador com lente de filtro número 14 também pode ser usada.

“O vidro de soldador já vem em tamanho padrão na loja, vem cortado, são alguns centímetros. Você aponta o próprio vidro em direção ao Sol e vê através dele. Ou pode colar o vidro numa caixa ou papelão e fazer um óculos improvisado com ele”, explicou o professor Elder Tânio, membro do Clube de Astronomia de Manaus e mestrando de Ciências na Amazônia da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).


Foto: Reprodução/internet

Outro método de observação direto é através de um telescópio com filtro solar especial. Atenção: utilizar lunetas e telescópios sem o filtro solar adequado pode levar à cegueira. Porém, os preços dos filtros não são baratos, acima de R$ 100, e geralmente são comprados via internet, o que demora para serem entregues.

“Precisa de um filtro solar específico para proteger a ocular do equipamento (telescópio) e para proteger os próprios olhos. Se você pega um aparelho óptico e aponta ele (vê através dele) sem proteção, ele pode danificar a retina dos olhos e dar cegueira”, completou o professor Tânio.


Foto: Reprodução/internet

Métodos indiretos

Existem também os métodos indiretos de observação, onde não se utiliza ferramentas de visualização direta, mas projeções do eclipse sobre outra superfície. Um desses métodos se usa uma cartolina, papel ou papelão de cor escura. Faz-se um pequeno furo na cartolina, de poucos diâmetros, e a coloca diante do Sol, perpendicular ao Sol, e sobre o chão, uma tela ou parede branca. A imagem do eclipse vai ser projetada na superfície.

Também há o método que utiliza um espelho pequeno. Sobre o espelho se coloca uma pequena cartolina com um orifício no meio, e através do orifício a luz do Sol é refletida. A pessoa deve apontar a luz solar vinda do espelho sobre uma superfície branca, similar ao método do parágrafo anterior. Importante: esse método deve ser utilizado num ambiente às escuras.


Foto: ​Reprodução/internet

Não indicados

Óculos de sol comuns, óculos 3D, vidros escuros, películas fotográficas, chapas de exames de Raio-X, máquinas fotográficas e CDs são métodos não são recomendados por não terem proteção contra os raios ultravioleta e infravermelho. Eles reduzem a quantidade de luz visível, mas não protegem os olhos realmente e podem aquecer a retina até causar danos graves.

“Se a pessoa apontar os óculos escuros, por mais que seja um óculos bem forte, ele não filtra os raios ultravioletas e podem danificar a vista. Só aconselhamos o óculos com filtro 14. É melhor não arriscar”, recomendou o professor Elder Tânio.