Publicidade
Manaus
ALIANÇA

Corpo de Bombeiros disponibiliza estrutura de comando para a Força Nacional

Previsão é que 100 homens reforcem as forças policias no controle do sistema penitenciário. Corpo de Bombeiros recebeu comitiva na manhã de hoje 10/01/2017 às 16:21 - Atualizado em 10/01/2017 às 16:39
Show for a nacional
Comando Geral do CBMAM recebeu comitiva nesta terça-feira (10)
acrítica.com Manaus (AM)

Na manhã desta terça-feira (10), os bombeiros receberam a comitiva de Oficiais da Força Nacional de Segurança Pública enviados para ajudar no controle da crise do sistema penitenciário. Um grupo de 25 homens chegou na madrugada desta terça-feira (10) para auxiliar as forças policiais do Estado. A previsão é que 100 homens reforcem o efetivo.

A comitiva foi recebida pelo Coronel BM Raimundo Rodrigues, que responde pelo Comando Geral do CBMAM. A corporação colocou a infraestrutura do Quartel do Comando geral à disposição da Força Nacional para que os militares fiquem alojados da melhor maneira possível.

Força Nacional

Na madrugada desta terça-feira (10), por volta das 3h, 25 homens da Força Nacional de Segurança Pública desembarcaram em Manaus para auxiliar as forças policiais locais a controlarem a crise no sistema penitenciário do Amazonas e reforçar a segurança nos presídios de Manaus. Hoje, às 9h, no Aeroporto de Ponta Pelada, mais 25 homens da Força Nacional chegaram à capital amazonense

No domingo (8), o governador do Amazonas, José Melo, pediu ao ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, reforço de pessoal e equipamentos. Em nota, o ministro autorizou a ajuda da Força Integrada de Atuação no Sistema Penitenciário, que atua no ordenamento de unidades prisionais.

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, acatou o pedido dos estados de Roraima e Amazonas e enviará 200 homens da Força Nacional, 100 para cada estado, para reforçar a segurança nesses locais. “Estamos deslocando entre hoje e amanhã, na madrugada, pela FAB [Força Aérea Brasileira], os homens e todo o equipamento de armamento e viaturas. Os homens vão realizar policiamento, apoio nos bloqueios e apoio no perímetro das penitenciárias”, afirmou. Os dois estados registraram na última semana rebeliões em unidades prisionais que deixaram cerca de 100 detentos mortos em menos de cinco dias.

Entenda o caso de Manaus

Desde 1º de janeiro, 64 detentos foram assassinados em três unidades prisionais de Manaus: o Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) com 56 mortos no dia 1º; a Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), com quatro mortos no dia 2; e a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, com mais quatro presos mortos domingo (8). A maioria foi decapitada e esquartejada.

Além disso, no dia 1º de janeiro, 184 detentos fugiram de dois presídios de Manaus: o Compaj, com a fuga de 112 presos, e o Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat), onde 72 internos escaparam. Destes 184, 70 foragidos foram recapturados.

O motivo da chacina e das sequentes mortes de presos nos presídios do Amazonas seria a disputa entre duas facções criminosas, a Família do Norte (FDN) e o Primeiro Comando da Capital (PCC), pelo domínio do tráfico de drogas na região e das unidades penitenciárias do Estado.