Publicidade
Manaus
Polícia, Duplo homicídio, DEHS, Tráfico de Drogas, Acerto de Contas, Vingança

Corpos são abandonados na Zona Oeste de Manaus, junto com carta

De acordo com a polícia, por enquanto as hipóteses de guerra entre facções rivais do tráfico de drogas, acerto de contas, vingança, não podem ser descartadas 24/10/2012 às 17:17
Show 1
Escrita em um pedaço de papelão, a carta pede a construção de uma unidade de reablitação para usuários de drogas
Joana Queiroz e Síntia Maciel Manaus

A carta escrita em um pedaço de papelão e deixada ao lado dos corpos de Paulo Ricardo Barbosa Benchimol, 24, e Jair Jason Pereira dos Santos, 23, na madrugada desta quarta-feira (24), na rua 9, do bairro Alvorada 1, na Zona Oeste de Manaus, será encaminhada para a perícia grafotécnica, nesta quinta-feira (25), de acordo com o delegado Samir Freire, da Delegacia Especializada em Homicídios s Sequestros (DEHS).

Segundo ele, por enquanto as hipóteses de guerra entre facções rivais do tráfico de drogas, acerto de contas, vingança, não podem ser descartadas.

As duas vítimas estavam “envelopadas”, conforme as explicações do delegado, e aparentemente foram mortas por asfixia, pois não foram encontrados indícios de lesão corporal nos dois cadáveres. Ambos estavam algemados.

O duplo homicídio, de acordo com o teor da carta, estaria relacionado com as mortes do pastor da Igreja Assembleai de Deus do Ministério de Madureira, Rischarles Nascimento Santana, 31, e do ex-presidiário Manoel dos Santos Gomes, 26, ocorridas no último sábado (20), no bairro Puraquequara, na Zona Leste de Manaus.

Carta
Escrita em um pedaço de papelão, cujo autor se intitula “Todos os 33 de Manaus”, a carta pede que os traficantes parem com as mortes desnecessárias na cidade, salientando que há casos que podem ser resolvidos na base do diálogo, além de prestar algumas informações sobre a morte do pastor Rischarles.

A construção de centros de reabilitação para dependentes químicos – com direito a cursos profissionalizantes -, também é solicitada no documento, que termina com um pedido para que todos “fiquem com Deus e Nosso Senhor Jesus Cristo”.