Publicidade
Manaus
Manaus

CPI da água cria agenda de visita em maiores zonas eleitorais de Manaus

A decisão de fazer as audiências nos bairros foi anunciada ontem, pelo presidente da CPI, vereador Leonel Feitoza (PSD) 26/06/2012 às 07:58
Show 1
Vereadores, membros da CPI da Água, prometem manter as atividades durante os 15 dias de recesso na Câmara Municipal, que se estenderá até 10 de julho
Bruno Strahm ---

Os bairros Grande Vitória e Nova Vitória, na Zona Leste, serão os primeiros a serem visitados, a partir de quinta-feira, às 19h, por vereadores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Água. As duas zonas concentram 39% do eleitorado de Manaus. São 459.300 votos. As audiências públicas nos bairros das Zonas Leste e Norte coincidem com o início da campanha eleitoral, no dia 6 de julho, de acordo com o calendário eleitoral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A decisão de fazer as audiências nos bairros foi anunciada ontem, pelo presidente da CPI, vereador Leonel Feitoza (PSD).

 Ele disse que a intenção é ouvir os moradores dessas comunidades para saber como é o serviço de fornecimento de água: “O que vamos fazer é uma espécie de audiência pública da CPI, confrontando as informações prestadas pelos técnicos da Manaus Ambiental com as das comunidades”, disse o vereador Waldemir José (PT), um dos membros da comissão. As visitas às duas comunidades serão as primeiras de uma série programada pela CPI. Para o vereador Leonel Feitoza, esse é um momento vital das investigações porque “tem muitas informações e muitas contradições”, disse. “Vamos ver quem fala a verdade. A empresa Águas do Amazonas (Manaus Ambiental) fala que o serviço prestado é uma maravilha e a população diz que o serviço não existe”, afirmou Feitoza.

O calendário inicial das visitas está assim definido: Quinta-feira, reunião no bairro Grande Vitória; dia 2, no Jorge Teixeira; dia 5, no bairro Santa Etelvina. Além das visitas aos bairros, os membro da CPI programam para dia 3 de julho votar a convocação de representantes da diretoria da antiga Águas do Amazonas, e da atual Manaus Ambiental. Serão convocados Ademar Castelo Branco, Osvaldo Rodrigues de Souza, José Francivito Diniz, Vicente Ferreira Linhares Junior e Marcelo Santos Silva. O vereador Marcel Alexandre, relator da CPI, disse ontem que o documento final a ser redigido por ele não possui informações suficientes: “Ainda há muito para terminar meu relatório, tudo o que perguntamos aos diretores convocados até agora pela comissão eles simplesmente não responderam de forma satisfatória” declarou.

 A convocação de ex-prefeitos foi adiada mais uma vez. A última havia sido no dia 23 de maio, quando os membros da CPI votaram a convocação do ex-prefeito Serafim Corrêa (PSB), do ex-prefeito e atual senador Alfredo Nascimento (PR), do ex-prefeito e atual senador Eduardo Braga (PMDB) e o prefeito Amazonino Mendes (PDT). “Primeiro temos que ouvir os técnicos para saber como foi feita toda essa questão, para depois ouvir as pessoas que administraram a cidade nessa época. Isso não tem a ver com as convenções partidárias. A eleição vai acontecer a par disso tudo. Somos vereadores e trabalhamos pela cidade. Política nós fazemos na hora que é para fazer política” disse o vereador Leonel Feitoza.

Convocação coercitiva
O nome de Carlos Villar, presidente do grupo Solvi, que mantém parte do controle da nova empresa Águas do Brasil, teve sua convocação pedida à Justiça por parte da CPI. Ele quer ser ouvido em São Paulo, o que, na opinião dos vereadores, dificulta o trabalho. Leonel Feitoza disse que o pedido ainda aguarda posição da Justiça, e que não se pode fazer nada a respeito até que seja definitivamente apreciado.