Publicidade
Manaus
Manaus

Criador de pássaros alega que foi agredido por policial

O comerciante disse que já tinha sido abordado, há cerca de um mês, pelo policial Hernandes Menezes Sotero, que exigiu ver a licença de criação de pássaros, concedida pelo Ibama à Juvenal. 18/12/2012 às 20:18
Show 1
Vídeo mostra ação dos policiais
Maria Derzi Manaus (AM)

O comerciante e criador amador de pássaros, licenciado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Juvenal Costa denunciou à  Corregedoria Geral da Secretaria de Estado de Segurança Pública(SSP)  os policiais militares da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom)  por, suposto, abuso de poder. 

O comerciante alega que foi preso e espancado, por transportar em seu carro, um periquito-de-asa-branca, por ter uma criação amadora de pássaros em casa. O comerciante disse que já tinha sido abordado, há cerca de um mês, pelo policial Hernandes Menezes Sotero, que exigiu ver a licença de criação de pássaros, concedida pelo Ibama à Juvenal.

No domingo (16), no caminho para casa, Juvenal foi seguido pelo policial que estava na viatura da 30ª Cicom e ao chegar a casa em casa, foi abordado de forma truculenta pelo policial, que invadiu a residência, tentou tomar a gaiola de pássaro e deteve Juvenal dentro de casa, sem mandato. “Ele ficou arrastando o meu marido para fora de casa, porque ele apresentou a licença e perguntou se o policial tinha mandato. Ele quis tirar ele de casa porque sabia que não podia prender ele aqui. Foi logo batendo e mandando ele sair, empurrando meu marido para a viatura,algemado. Depois pediu reforço para prender”, disse a dona de casa Marilene Costa, que acompanhou a ação da polícia.

Os filhos do comerciante gravaram a ação policial e chegaram a ser agredidos. “Esse policial deu um empurrão na minha filha de 13 anos e bateu na boca dela”, disse a dona de casa. Os vizinhos do casal também tentaram evitar que o comerciante fosse detido e uma confusão generalizada se formou.

As imagens mostram a hora em que Juvenal foi preso e, em alguns trechos, também revelam que os policiais empurraram e agiram com força contra os parentes do comerciante.

Juvenal foi levado para o 30º DIP. “Esses policiais ainda deram várias voltas para chegar ao DIP e quando chegamos lá, esse policial Hernandes, ainda me bateu na nuca, atrás da sala da delegada. Mas, ela verificou a minha licença na Internet e disse que não tinha razão para eles terem me detido”, disse o comerciante Juvenal Costa.

O caso foi encaminhado para a Corregedoria Geral da Secretaria de Estado de Segurança Pública. A assessoria do órgão informou que a denúncia foi feita e que será instaurado um inquérito policial militar para apurar a autoria e materialidade dos fatos, promovendo a ambas as partes o direito de defesa.

Ibama

O superintendente do Ibama, Mário Lúcio Reis, disse que a licença deve ser comparada ao número da anilha de identificação do pássaro. Mas, como a ave fugiu quando a gaiola foi quebrada, ele deve comunicar o fato ao Ibama.