Publicidade
Manaus
Manaus

Crime passa de suicídio para suspeita de homicídio em Manaus

O irmão de Manoel, que também é agricultor, Francisco Costa Silva, 47, alegou que morte do parente não foi suicídio. Segundo ele, no local do crime, havia várias provas de que outras pessoas estavam com seu irmão na noite do incidente 02/05/2012 às 21:49
Show 1
O caso será investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS)
Catiane Moura Manaus

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) abriu um inquérito, nesta quarta-feira, para investigar um suposto suicido, onde a vítima é o agricultor Manoel Costa Silva, 46, encontrado morto, pendurado, com uma camisa amarrada ao pescoço, em uma parada de ônibus em Manaus, por volta das 18h de terça-feira (01/05).

Ele foi localizado por um grupo de crianças que passavam pelo local em um ônibus escolar, no quilômetro 47, da AM 010 (Manaus - Itacoatiara), próximo a comunidade Terra Santa.

Depois de um pedido da família da vítima, a polícia civil começou a investigar o caso a fim de confirmar se foi homicídio ou suicídio. “Já ouvimos alguns familiares dele e foi elaborado um relatório para ser entregue ao delegado que dará sequência as investigações”, informou um investigador da Especializada em Homicídios.

O irmão de Manoel, que também é agricultor, Francisco Costa Silva, 47, alegou que morte do parente não foi suicídio. Segundo ele, no local do crime, havia várias provas de que outras pessoas estavam com seu irmão na noite do incidente. “Encontramos sandálias que não eram dele, papelotes de maconha, sendo que meu irmão não usava  drogas e sem contar que ele foi enforcado com uma camisa que não era dele”, explicou o irmão.

De acordo com familiares, Manoel havia saído de casa na tarde de terça-feira, para comemorar o dia do trabalhador com amigos, porém, não retornou. “Ele só tinha um problema, bebia muito, mas nunca andou se envolvendo em brigas. Ele estava bem e não tinha motivos para suicídio. Saiu de casa apenas para comemorar o dia do trabalhador”, contou Francisco Costa.

A Polícia Militar foi acionada nesta manhã ao local do crime. O Instituto Médico Legal (IML) fez a remoção por volta das 13h.