Publicidade
Manaus
Manaus

De volta à Manaus prefeito da cidade 'curte' mais um dia de folga

Prefeito de Manaus deixa de comparecer à sede da prefeitura no momento em que rodoviários ameaçam nova paralisação 14/04/2012 às 08:38
Show 1
Amazonino Mendes disse que estava descansando em São Paulo durante a greve
FABÍOLA PASCARELLI Manaus

O prefeito Amazonino Mendes (PDT) não compareceu, ontem, à sede da Prefeitura de Manaus e nem tem agenda de trabalho neste fim de semana. As informações são da Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom). A folga do prefeito ocorre em meio a ameaça dos rodoviários de paralisarem o transporte coletivo novamente, como ocorreu na última terça-feira (10), quando Amazonino estava fora da cidade. Mais de 500 mil pessoas foram prejudicadas.

Na semana passada, a cidade ficou quatro dias sem prefeito, no feriadão da Semana Santa, de quinta-feira a domingo. Amazonino viajou para São Paulo e o presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador Isaac Tayah (PSD), se declarou impedido de assumir o cargo, temendo ficar impedido de concorrer a reeleição. Somente na última segunda-feira (9), o juiz Lafayette Vieira Júnior, o magistrado mais antigo do município, assumiu o posto.

O líder do prefeito na CMM, Leonel Feitoza (PSD), chegou a afirmar, na quarta-feira (11), que Amazonino estava em viagem de trabalho a São Paulo e Brasília para tratar de questões sobre o Bus Rapid Transit (BRT), modalidade de transporte público que a administração municipal pretende adotar visando a Copa do Mundo de 2014.

Ao desembarcar no aeroporto internacional Eduardo Gomes, na tarde de quarta-feira, o prefeito disse que estava na capital paulista descansando, mas que aproveitou para fazer alguns contatos. Mas Amazonino não especificou que tipo de contatos nem os nomes das pessoas com quem falou.

No dia da greve dos rodoviários, a promotora dos direitos do consumidor do Ministério Público do Estado (MPE-AM), Sheila Camargo, disse que a Prefeitura de Manaus, como poder concedente, foi omissa diante do fato.

Na CMM, a oposição criticou a ausência de Amazonino. “A postura do prefeito é de alguém que, de fato, não é mais candidato e resolveu, antes de terminar o mandato, não cumprir suas obrigações”, afirmou o vereador Elias Emanuel (PSB).

Emanuel prometeu apresentar requerimento, na próxima segunda-feira, convocando o superintendente Municipal de Transportes Urbanos, Ivson Coelho, para prestar esclarecimentos sobre a paralisação e as medidas adotadas pela prefeitura.

Prefeito diz que não será candidato

Desde o início do ano, Amazonino Mendes (PDT) tem afirmado que não será candidato à reeleição. Na abertura dos trabalhos da Câmara Municipal, porém, ele criticou a administração do ex-prefeito Serafim Corrêa (PSB), pré-candidato, e atacou o senador Eduardo Braga (PMDB), outro prefeiturável. Na ocasião, anunciou a construção de cem creches e a conclusão de obras.