Publicidade
Manaus
Manaus

Debate na TV A Crítica: duelo entre Vanessa e Artur

Debate teve 1h30 de duração com quatro blocos; formato permitiu confronto direto entre os dois candidatos, que trocaram farpas e citaram Lula, Dilma e FHC 23/10/2012 às 22:16
Show 1
Candidatos se posicionam no estúdio da TV A Crítica
acritica.com Manaus

Os candidatos à Prefeitura de Manaus, Artur Virgílio Neto (PSDB) e Vanessa Grazziotin (PCdoB), se enfrentaram, nesta terça (23), em debate promovido pela TV A Crítica/Record e transmitido pela rádio A Crítica FM e o portal acritica.com.

No primeiro bloco do debate, Vanessa respondeu sobre o tema "moradia". "Muito pouca coisa a Prefeitura tem feito em benefício das pessoas. Estou me propondo a construir no mínimo 10 mil casas através do programa Minha Casa Minha Vida", disse.

Segundo ela, há muito tempo "Manaus não sabe o que é planejamento". "É inadmissível que quase 100 mil famílias não tenham uma moradia digna nessa cidade", comentou a comunista.


Sobre o mesmo tema, Artur disse que, sendo eleito, vai aderir imediatamente ao programa "Minha Casa Minha Vida". "Vou retirar as pessoas de áreas de risco e construir algumas casas, alguns embriões, mas não precisarei números", comentou o tucano.

Em seguida, Artur respondeu sobre o tema "água". De acordo com ele, há 800 mil pessoas sem acesso adequado ao abastecimento nas Zonas Norte e Leste de Manaus.

"Vejo duas alternativas muito simples (para solucionar o problema do desabastecimento de água), a partir de um diálogo imediato com a empresa concessionária: ou ela cumpre com o dever de colocar água nas torneiras ou ela terá o dissabor de ficar fora de Manaus", afirmou Artur.

Ao comentar o assunto, Vanessa sustentou ficar "indignada" com a falta de água encanada. "Tudo está pronto. Foi construído com dinheiro do governo do Estado", disse, referindo-se ao Proama. Ela sustentou que a água não chega às torneiras da periferia por "teimosia" da atual administração.

Temporários
A comunista também respondeu, ainda no primeiro bloco, que não pretende demitir nenhum dos 6.380 servidores temporários que ocupam cargos públicos na Prefeitura de Manaus.

"Não pretendo enxugar a máquina pública. Não pretendo promover demissões", disse Vanessa sobre a manutenção de servidores temporários. "No meu governo não haverá demissões", garantiu Vanessa. Artur também afirmou que não promoverá demissões, mas que vai fazer concursos públicos.

Segundo Bloco

Os candidatos tiveram a oportunidade de formular perguntas um para o outro. Entre os temas, debateram sobre transporte coletivo, planos para os primeiros dias de administração e o Plano Diretor.

Artur iniciou o segundo bloco comentando sobre possíveis soluções para o transporte. "A idéia é mexer no trânsito com medidas rápidas. E ao mesmo tempo trabalhar espaços exclusivos para ônibus circulares, enquanto não vem o BRT", declarou. Vanessa destacou, mais uma vez, o controle do transporte coletivo. E disse que irá descentralizar e colocar "nas mãos da prefeitura".

Vanessa, ao responder sobre os primeiros 100 dias de governo, disse que irá iniciar projeto de revitalização do Centro de Manaus, a realocação de camelôs e o problema de lixo nas áreas mais periféricas.

"Com menos tempo poderei resolver o problema da água, por exemplo", declarou ela. Por sua vez, Artur Neto replicou, dizendo que tem "medo de promessas exageradas". "Quero ser comedido. Sobre o problema da água, espero resolvê-lo em quatro anos. Será uma grande luta".

Ao responder a pergunta de Vanessa Grazziotin sobre a descentralização da Prefeitura, Artur propôs uma atuação de unidades gestoras. "Enxugarei a máquina. Conviver com 32 secretarias não faz parte de mim. Descentralizar é fundamental. Cargos comissionados em demasia. Pretendo cortar parte dos comissionados e oferecer soluções consistentes", disse.

Sobre o Plano Diretor, ambos disseram que desejam a participação da população no debate deste projeto. Os dois candidatos ainda discutiram sobre os méritos da construção do gasoduto Coari-Manaus. Artur chegou a dizer que a obra foi iniciada por Fernando Henrique Cardoso. Vanessa retrucou. "Quem começou a obra do gasoduto foi o presidente Lula".


Terceiro bloco
Na terceira etapa do debate, Artur questionou sobre a proposta de Vanessa para a zona rural de Manaus. A comunista respondeu: "Hoje Manaus tem um bom cinturão verde. Eu vou incentivar muito essas pessoas. Vou dar incentivo. Melhorar as viscinais. Levar educação. Temos que valorizar aqueles que plantam para que a gente possa comer".

Sobre o tema, Artur Neto disse que vai tratar a zona rural "com respeito". "Quero tratar a zona rural com o mesmo respeito que os políticos costumam tratar as zonas mais populosos".

Segurança
Em relação à segurança pública, Artur prometeu trabalhar "programas sociais" para retirar jovens das drogas. Vanessa afirmou que, com parcerias, vai trazer para Manaus o programa "Mulheres da Paz".

Lazer
"Esporte e lazer é uma forma de trazer saúde para as pessoas", disse Vanessa. "Vou recuperar todos os espaços que a Prefeitura dispõe. Vou trazer de volta o programa Segundo Tempo que o atual prefeito não teve a capacidade de renovar".

O tucano prometeu espalhar pela cidade academias ao ar livre e dar "verdadeira atenção ao lazer e ao esporte". Vanessa disse que fez emendas para a construção de uma minivila olímpica e que o atual prefeito, Amazonino Mendes (PDT), não fez uso do dinheiro.

Ônibus
Artur prometeu não aumentar a tarifa de ônibus de forma exagerada. "Nada de demagogia de que tarifa não vai se aumentar muito. A inflação aumenta todo ano", comentou o tucano.

Vanessa disse que na década de 90 Artur aumentou de forma "abusiva" o preço da tarifa de ônibus. "Vou congelar a tarifa do transporte coletiva até que se faça uma auditoria. Só vou pensar em reajuste depois que fizer essa auditoria", garantiu a comunista.

Creches
Artur Neto afirmou que fará parcerias público-privada para aumentar o número de creches. Vanessa também disse que vai construir creches e cuidará da cidade "como uma mãe". O tucano prometeu construir escolas para mães adolescentes.

Quarto bloco
Ao responder perguntas de jornalistas da Rede Calderaro de Comunicação, inicialmente sobre reajustes salariais, Artur Neto não confirmou se vai aumentar salários na administração municipal. Já Vanessa disse: "Eu, como prefeita, vou valorizar muito o servidor". E emendou: "Me preocupa ver o candidato adversário dizendo que vai diminuir custeio. Aliás, diminuir custeio é mais do que o PSDB gosta de falar", provocou.

Mensalão
Ao ser estimulada a falar sobre o o julgamento do Mensalão, Vanessa afirmou que "existem outros Mensalões sendo investigados, inclusive o Mensalão Mineiro". "Tenho orgulho de receber o apoio do ex-presidente Lula e da presidente Dilma. Não escondo meus apoiadores", respondeu.

Já Artur Neto se referiu ao julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) como um fato histórico. "Eu não falei a palavra Mensalão uma só vez na minha campanha. Foi histórico o julgamento, inclusive punindo figurões", comentou.


Provocações
De Artur para Vanessa: "Não me proíba de gostar da senhora porque eu gosto muito. Tenho muita estima pela senhora", provocou.

De Vanessa para Artur: "Não estou agredindo ninguém. Não tenho nada contra o senhor. Somos só adversários", retrucou Vanessa.