Publicidade
Manaus
Manaus

Defensas da Ponte Rio Negro ficam prontas após um ano

A construção do mecanismo de defesa levou 12 meses para ficar pronta e agora está passando por uma análise técnica da Marinha 15/08/2012 às 07:09
Show 1
A implantação das defensas da ponte Rio Negro, que ajudam a evitar danos à estrutura dela, foi adiada duas vez e até ameaçou a inauguração da obra
Carolina Silva Manaus

Perto de completar um ano de inauguração da ponte Rio Negro, o sistema de proteção de pilares dela foi concluído há  15 dias. Agora, os equipamentos de segurança passam por ajustes e calibrações para a aprovação da Capitania Fluvial da Amazônia Ocidental (CFAOC). A instalação das defensas, que começaram a ser construídas em agosto de 2011 e custaram R$ 67 milhões, foi adiada duas vezes.

De acordo com a Secretaria da Região Metropolitana de Manaus (SRMM), o sistema de proteção dos pilares da ponte está totalmente implantado, com as 12 balsas posicionadas nos canais de navegação. O processo de instalação foi retomado no final de junho e finalizado no último dia 31 de julho. A SRMM ainda  não apontou um prazo para a conclusão dos ajustes, mas disse que a liberação de funcionamento efetivo das defensas depende da aprovação da Capitania.

As obras foram contratadas pela SRMM, órgão do Governo do Estado, no ano passado. O contrato com a empresa Erin Estaleiros Rio Negro começou a vigorar dia 11 de março de 2011. A construção das defensas iniciou em agosto. O prazo inicial para concluir os serviços foi de 240 dias (oito meses). Mais tarde, o prazo foi esticado em mais 140 dias (quatro meses e meio).

Em fevereiro, o diretor da Erin Estaleiros Rio Negro, Carlos Custódio, chegou a informar que o primeiro prazo para concluir os serviços foi curto porque a empresa teve que adquirir equipamentos fora do Brasil e o projeto inicial do sistema de segurança havia sofrido alterações. “Tivemos que adquirir equipamentos da Espanha e China, e o transporte até Manaus demora”, justificou o diretor.

Desprotegida
Inaugurada no dia 24 de outubro de 2011 pelo governador Omar Aziz (PSD), ao custo de R$ 1,09 bilhão, a única proteção que a ponte Rio Negro tinha, após a inauguração, eram as restrições à navegação estabelecidas pela Capitania dos Portos.

Os navios com peso bruto acima de 2 mil toneladas só podiam navegar por baixo da ponte com autorização da Capitania, utilizando o canal principal durante o dia, em boas condições climáticas e de navegabilidade e com o auxílio de rebocadores.

Já em abril, com apenas quatro defensas instaladas embaixo da ponte Rio Negro, que liga Manaus ao Município de Iranduba (a 25 quilômetros da capital amazonense), o diretor da Erin justificou que as chuvas do início de ano atrasaram a conclusão das oito defensas do canal secundário. “Teve muita chuva. Isso atrapalhou muito a execução da obra”, argumentou Custódio.

O sistema de defensas foi criado, principalmente, para possibilitar o trânsito de navios e tem capacidade para suportar impactos de embarcações com peso de até 20 mil toneladas. De acordo com a SRMM, os canais principais e secundários terão dois sentidos de navegação, para embarcações que sobem e descem o rio Negro.

Chuvas e cheia atrasaram as obras
No início do ano, a instalação das defensas da ponte Rio Negro foi prejudicada por conta das chuvas e, posteriormente,  as obras permaneceram paradas devido ao período de cheia, o que motivou mais um adiamento da conclusão.

Por conta  da enchente, a conclusão do sistema de proteção de pilares ficou comprometida, pois o período de cheia influenciou no trabalho de lançamento de poitas (ancoragens das balsas) e que envolvia atividades de mergulho. Neste caso, o aumento da profundidade dificultou o processo, justificou a Secretaria da Região Metropolitana de Manaus (SRMM).

Somente depois do início do período de vazante do rio Negro - que alcançou a cota máxima de 29,97 metros na cheia deste ano - foi dada continuidade à instalação das defensas.

Segundo informações do Sistema Integrado de Controle e Gestão de Obras Públicas (Sicop), acessado ontem, foram aditados 267 dias para a conclusão das obras das defensas da ponte.

O valor do projeto de implantação do sistema de segurança dos pilares da ponte Rio Negro é R$ 67 mi.  O primeiro projeto foi orçado em R$ 89,1 milhões, mas foi rejeitado pelo Governo do Estado, que solicitou à empresa responsável, Erin Estaleiros Rio Negro, que reduzisse o valor do orçamento. Com isso, o projeto foi alterado e as mudanças fizeram com que o preço caísse para R$ 67 milhões.

Início das obras
As obras das defensas da ponte Rio Negro foram contratadas pela SRMM no ano passado e iniciadas em agosto do mesmo ano.

Prazos
O prazo inicial para concluir os serviços, de 240 dias (oito meses), foi expandido em 140 dias (quatro meses e meio).

Contratos
A Erin Estaleiros Rio Negro também é uma das três empresas contratadas para a construção de 15 portos no interior.

Portos
Orçados em R$ 261,6 milhões, os terminais hidroviários do interior começaram a ser construídos em março de 2010.