Publicidade
Manaus
Manaus

Delegacia Geral disponibiliza efetivo de mais de mil policiais paras as eleições no Amazonas

Todas as ocorrências registradas, relacionadas ao pleito, serão repassadas ao TRE para serem investigadas 04/10/2012 às 21:11
Show 1
A Polícia Civil vai contar com o efetivo de mais de 500 homens somente na capital durante a operação Lei Seca.
acritica.com Manaus

Na tarde desta quinta-feira (4), o Delegado Geral Adjunto da Polícia Civil do Amazonas, Mário Aufiero e o Delegado Emerson Negreiros, diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), se reuniram com o Presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TRE-AM), Desembargador Flávio Pascarelli, para definir os detalhes da operação Lei Seca que inicia às 22h de sábado e se estende até às 18h de domingo.

Ainda na noite de sábado a Polícia Civil vai realizar a “blitz da lei seca” que fiscalizará bares e comércios para coibir a venda de bebidas alcoólicas, para que no domingo as eleições ocorram com tranquilidade. O comerciante que for flagrado vendendo bebida alcoólica pode ser preso e autuado por violar o artigo 347 da lei 4737/65 do Código Eleitoral, que estabelece que é crime desobedecer ordens ou instruções da Justiça Eleitoral, ou mesmo dificultar sua execução. A Polícia Civil vai contar com o efetivo de mais de 500 homens somente na capital durante a operação Lei Seca.

Durante o encontro, também foi anunciado à estratégia de atuação da Polícia Civil para as eleições e a parceria com o TRE. No domingo o expediente nas delegacias será de 7h às 19h. Em todo o Amazonas, são mais de mil policiais entre delegados e investigadores que darão suporte ao pleito.

Na sede de TRE, o diretor do DPM, Emerson Negreiros ficará com sua equipe onde serão realizadas lavraturas dos Termos Circunstanciados de Ocorrências nos casos de crimes eleitorais registrados durante a realização do pleito.

O Disque Denúncias 181 da Polícia Civil também estará disponível para a população. Todas as ocorrências registradas, relacionadas ao pleito, serão repassadas ao TRE para serem investigadas.