Publicidade
Manaus
Cotidiano, Paralisação, Reajuste Salarial, ADPF-AM, Domingos Sávio Pinzon

Delegados federais do AM aderem à paralisação nacional de 24h

Categoria reivindica reajuste de 30%, além da suspensão nos cortes orçamentários do órgão, de aproximadamente 35%, o que prejudica os trabalhos 08/08/2012 às 15:02
Show 1
Nos últimos 10 anos, a carreira de policial federal foi a que teve menos reajustes, segundo Domingos Sávio
Síntia Maciel Manaus

As audiências previstas para acontecerem nesta quarta-feira (8), na sede da Superintendência da Polícia Federal, localizada no bairro Dom Pedro, Zona Oeste de Manaus, foram suspensas em virtude da paralisação de 24h, promovida pelos delegados federais. A suspensão temporária dos trabalhos ocorre em todo o País.

A categoria, de acordo com o diretor regional da Associação Nacional dos Delegados Federais (ADPF-AM), delegado federal Domingos Sávio Pinzon, a categoria reivindica um reajuste salarial de 30%, além da suspensão nos cortes orçamentários da Polícia Federal – por parte da União -, que este ano teria sido de aproximadamente 35%, o que prejudica os trabalhos da instituição.

“Durante os dois mandatos do presidente Lula e agora da presidente Dilma, a Polícia Federal teve apenas um reajuste, que ocorreu em 2006. Em 10 anos, a carreira de policial federal foi a que teve menos reajustes salariais”, explica Pinzon.

Dos 25 delegados federais no Amazonas, informa Domingos Sávio, apenas 70% aderiram à greve. Os 30% restantes, seguem dando expediente normal, conforme a lei.

Apesar de não saber precisar o número de audiências que poderiam ser prejudicadas com paralisação de 24h dos delegados federais, bem como a quantidade de inquéritos sem andamento, o diretor da ADPF-AM, salientou que investigações referentes a desvio de verbas públicas e narcotráfico, tem prioridade em relação aos demais ilícitos criminais combatidos pela instituição.

Negociações
Na próxima semana o comando de greve dos policiais federais – cuja base se encontra em Brasília -, deverá ser reunir, segundo Domingos Sávio, para orientar a categoria em todo o País, sobre uma nova paralisação.

“Esperamos que o Governo Federal sinalize uma proposta, proponha uma negociação. Enquanto isso não ocorre, deverão ocorrer novas paralisações, e caso até o dia 20 deste mês não haja um acordo, partiremos para a greve geral”, salienta Pinzon.

Além dos delegados federais, os peritos da instituição também paralisaram as suas atividades nesta quarta-feira (8), por 24h.

Nessa terça-feira (7), papiloscopistas, agentes e escrivães da Polícia Federal, também suspenderam os trabalhos em todo o País, por reajuste salarial, reestruturação da carreira  e saída do diretor geral   da instituição, Leandro Daiello.